Treinamento simula colisão entre caminhões com carga perigosa na BR 290
capa

Treinamento simula colisão entre caminhões com carga perigosa na BR 290

Duas faixas da freeway foram bloqueadas para treinamento

Por
Karina Reif

Duas faixas da freeway foram bloqueadas para treinamento

publicidade

Cerca de 150 pessoas participaram de simulado de acidente com carga perigosa nesta quarta-feira na BR 290, a freeway. O objetivo foi treinar utilizando todas as equipes que compõem o socorro em rodovias nesses casos. A atividade foi promovida pela Triunfo Concepa, Agência Nacional de Transportes Terrestres Polícia Rodoviária Federal (PRF), Braskem, Defesa Civil, Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) e bombeiros.

Duas faixas do km 65 da estrada, no sentido Litoral Norte-Porto Alegre, ficaram bloqueadas durante a manhã. No local, foi simulado um choque entre dois caminhões, um deles transportando tolueno. Havia duas vítimas, sendo que uma estava desacordada. Os trabalhadores fizeram o isolamento da área, contenção do líquido que havia vazado e outros procedimentos para evitar incêndio e danos ao meio ambiente. O gerente de operações da Triunfo Concepa, Evandro Bottega, explicou que a ação serve para avaliar a preparação das equipes dentro do plano de segurança da rodovia. Ele disse que diariamente circulam 30 mil veículos na freeway, entre Gravataí e Osório. Do total, 15 mil são pesados e 2,5 mil deles transportam carga perigosa. “Primeiro devemos evitar o risco para os usuários, depois para o meio ambiente”, disse.

O comandante do 8º Comando Regional de Bombeiros (CRB), tenente coronel Carlos Daniel, explicou que o simulado é o momento de reunir os conhecimentos de todos os órgãos que participam do socorro nas estradas. Ele disse que, em um primeiro momento, é necessário o isolamento do local e identificação do cenário. “É um trabalho muito complexo, que envolve várias equipes. É fundamental analisar os riscos para começar o salvamento e a contenção dos problemas ambientais e transbordo de carga”, esclareceu. A atividade também serviu de treinamento para 28 alunos sargentos de Canoas.

O responsável pela Saúde, Segurança e Meio Ambiente (SSMA) da Braskem, Luís Eduardo Raya, salientou que a empresa é parceira no exercício, porque trabalha com 12 transportadoras certificadas e é necessária a promoção de simulados. “Temos a preocupação com a prevenção de catástrofes e incentivamos a qualificação”, ressaltou.