TRF4 mantém julgamento virtual de recurso de Lula em processo do sítio de Atibaia

TRF4 mantém julgamento virtual de recurso de Lula em processo do sítio de Atibaia

Defesa do ex-presidente teve seu pedido indeferido pelo desembargador Gebran Neto, que não viu necessidade de participação presencial na sessão

Correio do Povo

Lula foi condenado pelo TRF4 em novembro de 2019

O desembargador federal João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Operação Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4° Região (TRF4)  rejeitou, nesta quarta-feira, o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que o julgamento dos embargos de declaração da condenação de Lula no caso do Sítio de Atibaia fosse adiado. Com a negativa, a sessão pela 8ª Turma deve ocorrer de forma virtual a partir do dia 27 de abril e se estenderá até o dia 6 de maio.

De acordo com o desembargador, os pedidos da defesa, que apontavam a necessidade de um julgamento presencial do recurso e há existência de diligências a serem resolvidas no processo , não se sustentam, pois, nos embargos de declaração não há sustenção oral e a pertinência das diligências poderá ser analisada mediante sistema eletrônico, será possível a defesa destacar ao relator e demais julgadores os principais pontos do recurso que desejar. 

Lula foi condenado pelo TRF4 em novembro

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) condenou, no dia 23 de novembro de 2019, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do sítio de Atibaia, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, por 17 anos, um mês e 10 dias, por consideração unânime. Além de Gebran Neto, formaram o colegiado os desembargadores federais Thompson Flores e Leandro Paulsen.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895