UPAs de Porto Alegre voltam a ter intensa procura por testes de coronavírus

UPAs de Porto Alegre voltam a ter intensa procura por testes de coronavírus

Unidades de referência também registram grande volume de pacientes aguardando leitos em hospitais

Cláudio Isaías

UPA que atende bairro Bom Jesus teve fila de espera na calçada

publicidade

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) voltaram a ter, nesta segunda-feira, um movimento intenso de pacientes na procura por atendimento. Na Unidade de Pronto Atendimento da Bom Jesus, mais de 40 pessoas aguardavam para realizar exames da Covid-19. Um técnico de enfermagem saiu do posto para pedir que as pessoas sentadas na calçada da rua São Felipe, enquanto aguardavam pelo atendimento, evitassem ficar muito próximas.

Morador do bairro Sarandi, o aposentado Emílio Gonzales levou o filho Marcelo ao posto de saúde por volta das 7h. Marcelo, que estava dentro de um veículo, apresentava um quadro de febre e dores nas costas. "Estamos desconfiados que possa ser Covid-19. Faz dias que ele está com esse quadro", ressaltou o pai.

Veja Também

A dona de casa Marina Andrade, do bairro Rubem Berta, disse que resolveu procurar a instituição de saúde porque passou o final de semana com febre e dor de garganta. No Pronto Atendimento da Cruzeiro do Sul, a situação não foi diferente na manhã de hoje. Mais de 30 pessoas esperavam atendimento. O diferencial é que elas não estavam aglomeradas no pátio da instituição de saúde.  

De acordo com servidores do Pronto Atendimento da Cruzeiro do Sul, que pediram para não se identificar, em dezembro, os pacientes da Covid-19 correspondiam a aproximadamente 40% dos atendimentos. Nos meses de janeiro e fevereiro, o atendimento passou dos 70% e, segundo um servidor, não há jeito de diminuir. "Nos últimos dias, a demanda por testagem da Covid-19 cresceu um absurdo", relatou o servidor. 

A UPA Moacyr Scliar, na zona Norte de Porto Alegre seguia com o quadro de superlotação. Na manhã desta segunda-feira, 47 pacientes estavam em observação na unidade. A gerente da UPA, Jaqueline Cesar Rocha, informou que deste total, 42 aguardavam leitos, sendo 12 para Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Covid. Dos 47 apenas seis não são para Covid-19. "Dos 47 pacientes, temos cinco com leito, aguardando transporte para um hospital", ressaltou.

O coordenador Municipal de Urgências da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Diego Fraga, informou que existe hoje uma baixa procura dos pacientes que hoje podem ser atendidos (não urgentes) nos postos de saúde, mas a procura de pacientes graves continua acontecendo. "Não vemos nenhuma melhora na próxima semana nesse sentido", ressaltou. Fraga voltou a reforçar que a população mantenha o distanciamento social, use máscara, higienize as mãos, evite aglomerações e procure o seu posto de saúde quando for preciso.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895