UPAs e emergências de Porto Alegre apresentam ocupações menores que semanas anteriores

UPAs e emergências de Porto Alegre apresentam ocupações menores que semanas anteriores

Taxas segue acima de 100%, mas com tendência de queda

Christian Bueller

Nesta segunda-feira, foi registrada a ocupação médias de 114,84% nas quatro unidades

publicidade

Depois de um mês de março de colapso e abril com números ainda alarmantes no combate à Covid-19, a lotação nos Pronto Atendimentos (PAs) e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Porto Alegre segue acima dos 100%, mas com taxas não tão elevadas como semanas anteriores. Nesta segunda-feira, foi registrada a ocupação médias de 114,84% nas quatro unidades. Já as emergências dos hospitais apresentaram uma demanda de 99,05%.

Segundo o painel de monitoramento de emergências da prefeitura de Porto Alegre (PMPA), o PA da Bom Jesus teve a taxa mais elevada, com 27 pacientes internados em observação para sete leitos, registrando 385,7% de lotação. O PA da Cruzeiro do Sul também registrou 31 pacientes em observação para 12 leitos, com 258,3% de lotação. Já o PA da Lomba do Pinheiro teve lotação de 111,1%. Lá, são dez pacientes internados para nove leitos. Na UPA Zona Norte-Moacyr Scliar, 17 pacientes ocuparam os 17 leitos disponíveis.

Entre as emergências dos hospitais, a Santa Casa de Misericórdia registrou 216,67% de ocupação, a maior taxa do dia, com 52 pacientes para 24 leitos. Na sequência, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre recebeu 69 pacientes para 41 leitos (168,29%). As emergências do Nossa Senhora da Conceição (70,31%), Instituto de Cardiologia (71,43%) e Restinga (33,33%) apresentaram as menores taxas. São Lucas da PUC e Vila Nova não tiveram dados atualizados.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895