Uso da máscara é rotina para 89% dos moradores de Porto Alegre

Uso da máscara é rotina para 89% dos moradores de Porto Alegre

Pesquisa do Correio do Povo e Clube de Opinião indica como pandemia afetou a rotina dos porto-alegrenses

Correio do Povo

Levantamento apontou que homens utilizam menos máscaras do que as mulheres

publicidade

Em uma parceria do Correio do Povo com o Clube da Opinião, uma pesquisa realizada entre os dias 3 e 5 de setembro, com moradores de Porto Alegre, mostrou como mudou a vida da população com a pandemia. O cuidado com o uso de máscara ao sair de casa é rotina para 89% dos entrevistados. Para 85% das pessoas, o cotidiano está alterado, enquanto apenas 15% está seguindo a vida normalmente.

A atenção no combate à Covid-19 para que familiares não se contaminem é prioridade para 43% dos entrevistados. Em segundo lugar, aparece o alerta com a saúde da população mais carente (20%), seguido do medo de contrair a doença (19%). O temor de perder a vida é apontado por 8%. Já aqueles que não têm medo algum totalizam 11%.

Quando a aferição é por gênero, as mulheres são mais cuidadosas: 95% delas usam máscara sempre que saem de casa. Dos homens, 85% afirma usar o item de proteção sempre. Sobre os efeitos da pandemia na vida das pessoas, os dados são impactantes. A situação econômica piorou para 61%. Outros 36% afirmaram ter recebido algum tipo de auxílio do poder público. Dos entrevistados, 17% estavam desempregados e 18% eram autônomos e seguiam trabalhando. Entre os que trabalham por conta própria, 9% deram uma pausa nas atividades laborais.

Em meio a uma onda de Fake News, a imprensa volta a ter um papel significativo para a população. Televisão, jornal e rádio são os veículos mais confiáveis para as pessoas se informarem sobre o vírus.

De uma forma geral, as pessoas esperavam mais do poder público. A maioria acha que o prefeito Nelson Marchezan Júnior está agindo bem, mas poderia estar fazendo mais (42%). Sobre a atuação do governador Eduardo Leite, 50% dos entrevistados avaliam as medidas adotadas por ele como boas. Já a avaliação do papel do presidente Jair Bolsonaro é adequada para 44% da população de Porto Alegre.

Quando analisado apenas o conceito de que está agindo bem, Bolsonaro é mais bem avaliado que os governantes gaúchos. O presidente tem aprovação de 20%, contra 17% de Marchezan e 16% de Leite.

 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895