UTIs seguem com superlotação e taxa de ocupação chega a 109,48% em Porto Alegre

UTIs seguem com superlotação e taxa de ocupação chega a 109,48% em Porto Alegre

Do total de internações, 843 tinham diagnóstico positivo para a Covid-19 e outros 52 eram considerados suspeitos

Jessica Hübler

No Rio Grande do Sul, a taxa de ocupação de leitos UTI em geral era de 105,3%

publicidade

A superlotação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) adulto de Porto Alegre continua. Os 1.049 leitos disponíveis não eram suficientes na tarde desta quarta-feira, pois os hospitais estavam atendendo 1.143 pacientes. A taxa de ocupação geral das UTIs da Capital era de 109,48%. 

Do total de internações, 843 tinham diagnóstico positivo para a Covid-19 e outros 52 eram considerados suspeitos, o que representava 78,30% dos pacientes. Além disso, outros 125 pacientes estavam em ventilação mecânica fora das UTIs.

Dos 18 hospitais monitorados pelo levantamento da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), apenas cinco operam com as UTIs abaixo de 100% de lotação. Com relação ao número de pacientes com o novo coronavírus, em Porto Alegre, as maiores ocupações eram observadas no Hospital de Clínicas, que atendia pelo menos 179 pacientes relacionados à doença, entre UTI e emergência.

O segundo hospital com maior número de pacientes da Covid-19 era a Santa Casa de Misericórdia, com 151 e, depois, o Hospital Nossa Senhora da Conceição, que atendia 124 pacientes nas UTIs e nas emergências.

No Rio Grande do Sul, a taxa de ocupação de leitos UTI em geral era de 105,3% nesta quarta-feira. As UTIs do Estado atendiam 3.444 pacientes, sendo que os hospitais contabilizam 3.285 leitos disponíveis. O número de pacientes com Covid-19 ou suspeita chegava a 2.661, ou seja, 77,26% do total de internações nas UTIs gaúchas.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895