Vacinação contra Covid-19 em crianças deve começar na próxima semana

Vacinação contra Covid-19 em crianças deve começar na próxima semana

Governo espera receber primeira remessa de vacinas pediátricas contra a Covid-19 no dia 13 de janeiro e enviar doses às cidades em até 48h

R7

Saúde estima chegada das primeiras doses para dia 13 de janeiro

publicidade

O Ministério da Saúde informou que a vacinação contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos de idade pode começar na próxima semana. Caso seja confirmada a estimativa da pasta de receber no dia 13 de janeiro o primeiro carregamento de doses pediátricas da vacina da Pfizer/BioNTech, que foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser aplicada no público infantil, os imunizantes podem estar à disposição dos municípios entre os dias 14 e 15.

"A regra de aprovação do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) para liberação das vacinas é de cerca de 24h. Se cumprida essa estimativa, a vacinação poderia começar no próprio dia 14. Mas a expectativa é para que no dia 14 ou 15 os municípios já possam começar a imunização", disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, nesta quarta-feira. 

O voo com as vacinas pediátricas chegará ao Brasil pelo aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Em janeiro, a Pfizer enviará 3,7 milhões de doses para serem aplicadas em crianças. Os imunizantes chegarão em três remessas, cada uma com 1,248 milhão de doses, nos dias 13, 20 e 27. 

Em comunicado emitido nesta quarta, a Pfizer informou apenas que as doses começam a ser entregues ao Ministério da Saúde a partir da semana de 10 de janeiro, mas não especificou a data. Até o fim de março, o Brasil receberá 20 milhões de vacinas pediátricas da Pfizer. Essa quantidade é suficiente para atender apenas à primeira dose do esquema vacinal de todas crianças entre 5 e 11 anos de idade do país. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem ao menos 20 milhões de crianças nessa faixa etária no país.

Segundo Cruz, o governo já tem reservado para o segundo trimestre mais 20 milhões de doses pediátricas para a aplicação da segunda dose. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o governo não solicitou todas as 40 milhões de doses para atender o esquema vacinal completo de crianças para evitar um desperdício de vacinas.

"Temos que solicitar mais doses em função da velocidade de vacinação. Se eu solicitar um número muito maior de doses que a expectativa de vacinação, as doses vão vencer. E cada dose dessa tem um custo. Essa campanha de vacinação para crianças, ela custará ao ministério, se todos os pais decidirem vacinar os seus filhos, cerca de R$ 2,6 bilhões. É uma quantia expressiva, e nós temos que ter responsabilidade com a aplicação dos recursos públicos." 

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895