Vacina contra a Covid-19 atrasa, mas chega ao Rio Grande do Sul

Vacina contra a Covid-19 atrasa, mas chega ao Rio Grande do Sul

Voo com 341 mil doses da Coronavac aterrissou por volta das 22h10min em Porto Alegre nesta segunda-feira

Correio do Povo

Imunizantes chegaram no final da noite em Porto Alegre

publicidade

Perto das 22h10min desta segunda-feira chegou a Porto Alegre o voo com as 341 mil doses da Coronavac, a vacina contra Covid-19 que começa a ser aplicada nos gaúchos. A previsão inicial era de que o imunizante chegasse ao Rio Grande do Sul ainda pela manhã, mas durante parte do dia, informações desencontradas davam a falsa impressão de que as vacinas não chegariam à Capital ainda nesta segunda-feira. Havia a previsão inicial do uso de uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), com chegada no final da manhã. 

Depois, houve uma informação, da própria Secretaria Estadual de Saúde (SES) de que seria transportada via terrestre. Mas foi só na metade da tarde que ficou definido como as doses chegariam ao estado. A confusão teria ocorrido a partir do Ministério da Saúde, com reprogramações nos horários de voos, atrasando em horas o início da vacinação em vários estados, como Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Sergipe, e inclusive o RS.

De acordo com o Ministério da Saúde, serão distribuídos, aos estados, nesta primeira fase, ao todo, 6 milhões de doses da vacina Coronavac. Durante a manhã, aviões C-130 Hércules, KC-390 Millenium, C-97 e C-105 da FAB partiram do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) em direção às capitais de dez estados: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Santa Catarina para entregar a vacina. Mas aviões comerciais também foram utilizados na entrega da vacina, além de algumas rotas serem realizadas por via terrestre.

Para Porto Alegre, um voo da companhia Azul trouxe as doses. A previsão inicial era de chegar às 20h25, mas a partida do voo, em Guarulhos, atrasou. A companhia não informou o motivo. A empresa ainda passou a segunda-feira transportando a partir do terminal da Grande São Paulo as vacinas para Cuiabá, Vitória, João Pessoa, Curitiba, Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte, Salvador, São Luis, Aracajú, Natal e Maceió. Ao todo, a companhia transportaria 2,7 milhões de doses a essas cidades. A empresa havia anunciado em dezembro que estava à disposição das autoridades brasileiras para realizar o transporte das vacinas pelo país utilizando sua malha de voos existente e fretamentos, movimento que foi aderido também por outras empresas do setor.

Assim que as doses foram desembarcadas, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que aguardava no local, se manifestou em suas redes sociais. Emocionado, Leite enalteceu a importância da vacinação e da manutenção dos protocolos sanitários até que boa parcela população esteja protegida.

"Vacinar é o caminho para proteger as pessoas e a partir daí retormarmos as atividades, os encontros e os abraços que sentimos tanta falta". "Trabalhamos muito e continuamos trabalhando, não é momento de relaxar os cuidados, é muito importante que todos continuem se cuidando, respeitem os protocolos, até que efetivamente a vacina em grande escala imunize parcela substancial da população", acrescentou. 

Do Porto Alegre Airport, as doses serão embarcadas em um caminhão baú refrigerado e levadas até a Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos (Ceadi), na Avenida Ipiranga. Agentes da Polícia Federal, inclusive com homens do Grupo de Pronta Intervenção (GPI), e da Polícia Rodoviária Federal, em oito viaturas, irão fazer a escolta da carga. A partir deste ponto, a responsabilidade pela segurança estará sob responsabilidade da Brigada Militar e Polícia Civil.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895