“Vejo a vacinação infantil como uma esperança”, diz mãe de criança imunizada

“Vejo a vacinação infantil como uma esperança”, diz mãe de criança imunizada

Crianças a partir de sete anos com comorbidade ou deficiência permanente podem ser imunizadas em Porto Alegre

André Malinoski

Crianças a partir de 7 anos com comorbidade ou deficiência permanente podem ser vacinadas

publicidade

O público infantil apto a receber a dose da vacina contra a Covid-19 foi ampliado em Porto Alegre. Agora, crianças a partir de sete anos com comorbidade ou deficiência permanente também podem ser imunizadas nos postos de saúde. A vacinação de indígenas e quilombolas a partir de cinco anos também permanece mantida. “Vejo a vacinação infantil como uma esperança. Na quarta-feira, perdi dois amigos para a doença, um de 25 e outro de 45 anos. Quando vi que tinha imunização para as crianças corri para cá”, compartilha a recepcionista Janaina Santos, 38, que levou o filho Bernardo, 5, até a Unidade de Saúde Santa Marta, localizada no Centro Histórico. No local, havia outros pequenos sendo imunizados e brincando nos espaços lúdicos disponibilizados. O pintor Elemar Rechlizik, 53, observava a filha Kevylin, 8, sentada em uma cadeirinha desenhando e pintando. “Em casa, todos estão vacinados. Só faltava ela”, orgulha-se o pai. “Não doeu nada”, dizia a menina.

No Santa Marta, 23 crianças tinham sido vacinadas até as 10h15min desta quinta-feira. “É superimportante poder auxiliar, pois estamos vendo muitas crianças sendo internadas com Covid”, disse a estudante de enfermagem Ana Carolina, que recepciona o público que chega. “É a coisa mais importante”, concorda a estudante de Odontologia Amanda Matos, sentada ao lado da colega.

Nesta quinta-feira, os pais ou responsáveis que pretendem levar os filhos para imunização, podem se dirigir para alguma das sete unidades de saúde, das 8h às 17h, que oferecem as doses infantis. Os locais são: Chácara da Fumaça, Clínica da Família IAPI, Clínica da Família José Mauro Ceratti Lopes, Moab Caldas, Nova Brasília, Santa Marta e Santo Alfredo. “Há um ano atrás, Porto Alegre e o Rio Grande fizeram a primeira vacinação contra a Covid. De lá para cá, foi uma governança de muita parceria, o que fez da Capital uma das cidades com o maior número de vacinação. Isso se deve as parcerias com as farmácias, Exército, hospitais e voluntariado. Agora é uma nova fase, onde pretendemos vacinar as crianças com comorbidades. Esperamos que cheguem mais vacinas do Programa Nacional de Vacinação. A vacina não é obrigatória no Brasil, mas nós, os agentes públicos sempre defendemos a vacinação para as pessoas. Mas essa é uma decisão familiar e cabe aos pais decidirem se devem ou não dar a vacina aos filhos. A liberdade individual familiar precisa ser respeitada”, explicou o prefeito Sebastião Melo.

Para conseguir que os pequenos sejam imunizados, é preciso levar o documento de identidade do pai, mãe ou responsável e da criança, além do comprovante da condição de saúde (no caso de comorbidade ou deficiência). Os pais devem estar presentes no momento da vacinação ou enviar autorização assinada para outra pessoa cumprir essa tarefa.

Primeiro dia

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) divulgou, foram aplicadas 482 doses pediátricas da Pfizer no primeiro dia da vacinação infantil, nessa quarta-feira. O atendimento ocorreu em sete unidades de saúde, onde receberam a primeira dose crianças de dez e 11 anos com comorbidades ou deficiência permanente e quilombolas e indígenas de cinco a 11 anos. O Centro de Saúde IAPI registrou o maior movimento, com 143 doses aplicadas. Já o Centro de Saúde Santa Marta realizou 104 doses. “Queremos o maior número de crianças vacinadas para a proteção delas e dos seus familiares”, afirmou o governador Eduardo Leite durante o ato simbólico.

Veja Também

Acima dos 12 anos

Por sua vez, a vacinação para os maiores de 12 anos acontece nesta quinta em 42 locais da cidade, como o Shopping João Pessoa e em 41 unidades de saúde, sendo que sete delas estão em funcionamento com atendimento até as 21h (Belém Novo, Diretor Pestana, Morro Santana, Primeiro de Maio, Ramos, São Carlos e Tristeza). 

Conforme informou a Prefeitura de Porto Alegre, a aplicação da dose de reforço estará disponível para vacinados com a primeira dose de Janssen até 20 de novembro (dois meses) e para vacinados com a segunda dose dos demais imunizantes até 20 de setembro (quatro meses). E a quarta dose estará disponível para os imunossuprimidos acima de 18 anos vacinados com a terceira dose até 20 de setembro (quatro meses).

Fechamento

As unidades de saúde Tijuca, Batista Flores, Domênico Feoli, Asa Branca e Nova Gleba estão fechadas temporariamente. O motivo é o afastamento de 65 funcionários por suspeita ou confirmação de contaminação por Covid-19. A previsão é de que o atendimento retorne na próxima segunda-feira, dia 24.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895