Ventania provoca série de transtornos em cidades do Rio Grande do Sul

Ventania provoca série de transtornos em cidades do Rio Grande do Sul

Fortes ventos causados pelo ciclone extratropical na Costa do Estado gerou destelhamentos e quedas de árvores

Eduardo Andrejew

A queda de parte da árvore atingiu um posto de táxi em Porto Alegre

publicidade

Os fortes ventos causados pelo ciclone extratropical na costa do Rio Grande do Sul trouxeram uma série de transtornos em várias cidades gaúchas. Em Porto Alegre, foram registrados alguns danos, como na avenida João Pessoa, próximo ao Shopping João Pessoa, uma árvore caída obstruiu parcialmente o trajeto sentido bairro-centro. O trecho chegou a ficar sem energia elétrica na noite do domingo.

A queda de parte da árvore, que fica na calçada da Escola Estadual Ildefonso Gomes, atingiu um posto de táxi. O supervisor de táxi local Salvador Schmidt da Rosa explicou que o posto não estava sendo utilizado. Por isso, não houve risco de alguém ser atingido. Na avenida Carlos Gomes, a queda de uma cerca obstruiu parcialmente a via perto do número 985, sentido Norte-Sul.

Litoral

No Litoral Norte, o Hospital de Tramandaí, em Tramandaí, teve parte do seu telhado destruído pelo vento no início da noite de domingo. A cobertura já foi restaurada nesta segunda-feira pela equipe da Secretaria de Obras da prefeitura de Imbé, município vizinho.

O prefeito de Imbé, Ique Vedovato, disse que soube do destelhamento pelas redes sociais e imediatamente entrou em contato com a direção do hospital oferecendo o apoio. Ele lembrou que a casa de saúde é regional e as prefeituras da região costumam auxiliar na manutenção do prédio, quando necessário. De acordo com Vedovato, não houve feridos.

“Remanejaram pacientes que estavam naquela ala do hospital. Alguns foram para outros hospitais. Havia pacientes que possivelmente seriam removidos para Porto Alegre, para outro hospital de alta complexidade”, explicou. Pacientes de menor gravidade foram deslocados para UPA em Tramandaí, mas no decorrer do dia, já retornaram ao hospital. Vedovato explicou ainda que a restauração do telhado levou cerca de três horas para ser concluída.

Vedovato acrescentou que não ocorreram, pelo menos na sua cidade, maiores danos patrimoniais, apenas quebras de postes de energia elétrica. Por conta disso, dois postos de vacinação contra a Covid-19 precisaram ser deslocados para o Ginásio Municipal de Imbé. Além disso, algumas áreas tiveram o fornecimento de água comprometido, pois faltou energia no local de captação de água no município de Osório. Porém, o fornecimento já foi normalizado, segundo o prefeito.

Energia elétrica

A ventania que atinge o Rio Grande do Sul provocou a falta de energia elétrica em diversas regiões do Estado desde a tarde de domingo. Aumentou de 95 mil para 102 mil o total de pontos sem luz no final da manhã desta segunda-feira. Por volta das 10h, esse número chegou a 110 mil. As regiões mais atingidas foram o Litoral Sul e Região Metropolitana.

Na área da CEEE, 91 mil pontos ainda permaneciam sem luz na tarde de segunda-feira. Equipes da companhia trabalhavam para restabelecer o fornecimento aos consumidores, conforme a assessoria de imprensa.

O maior número de ocorrências está concentrado na zona rural de Pelotas, Maquiné e Santa Vitória do Palmar. Ainda segundo a companhia, a força da ventania foi responsável pela queda de árvores e arremessos de objetos contra a rede de distribuição da concessionária, danificando postes e rompendo cabos elétricos.

Já na região atendida pela RGE ainda havia 11 mil clientes sem abastecimento, sendo que a maioria dos registros ocorre na Região Metropolitana, principalmente em Canoas e Gravataí. De acordo com a empresa, equipes técnicas trabalhavam para executar os consertos na rede. Como o vento prosseguia em todo o Estado, havia dificuldades na execução dos serviços. Até o fechamento desta edição ainda não havia previsão de normalização do fornecimento de energia.


Mais Lidas





Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895