Vigilantes gaúchos aprovam greve a partir de segunda-feira
capa

Vigilantes gaúchos aprovam greve a partir de segunda-feira

Categoria realizar nova assembleia com trabalhadores do interior

Por
Karina Reif

publicidade

O Sindicato dos Vigilantes do Rio Grande do Sul (SindiVigilantes) aprovou por unanimidade nesta quinta-feira greve por melhores salários. A categoria, porém, planeja cruzar os braços somente na próxima segunda-feira, depois de uma nova assembleia que deve consultar trabalhadores que atuam no interior do Estado. Em caso de nova aprovação, a paralisação deve ser geral. 

A greve foi aprovada depois que a patronal apresentou uma proposta de reajuste salarial de 7,16% e R$ 15,20 no vale alimentação. A categoria, que pedia aumento de 18%, fez uma oferta de 12% e recebeu essa contraproposta. 

A nova assembleia, marcada para as 20h desta quinta-feira, reunirá trabalhadores do interior que precisam aprovar o estado de greve. No entendimento dos líderes do movimento, se a paralisação ocorresse já nesta sexta-feira poderia haver um enfraquecimento do movimento. Conforme a assessoria, os vigilantes prometem uma greve com "força total" a partir de segunda-feira e por tempo indeterminado.

A greve deve prejudicar bancos e outros serviços em Porto Alegre e no Rio Grande do Sul. De acordo com o plano de segurança bancário, as agências precisam de no mínimo dois vigilantes para poder funcionar. Os serviços essenciais, como hospitais, podem ser poupados. O tema ainda está sendo discutido pelas lideranças do movimento. De acordo com o SindiVigilantes, há 60 mil trabalhadores em todo o Estado.