Índia deve parar exportações da AstraZeneca para atender demanda doméstica

Índia deve parar exportações da AstraZeneca para atender demanda doméstica

Diante do aumento de contágios e descoberta de novas variantes do coronavírus, país quer acelerar imunização da população indiana

AFP e Correio do Povo

Diante do aumento de contágios e descoberta de novas variantes do coronavírus, país quer acelerar imunização da população indiana

publicidade

A Índia deve anunciar, nos próximos dias, a paralisação da exportação da vacina AstraZeneca contra a Covid-19, feita pelo Serum Institute of India (SII), para se concentrar na imunização da população local. A medida ocorre em um momento que o país vive um cenário de aceleração de contágios e de surgimento de novas cepas do vírus. A informação foi publicada nesta quarta-feira pela CNBC, que alega que a suspensão deve durar por dois meses, e pela agência Reuters, que indica um período "temporário" da pausa. Ambos os veículos ouviram fontes internas ligadas à produção do imunizante. 

Conforme foi relatado à Reuters, um dos efeitos da paralisação da distribuição da vacina para fora da Índia deve ocorrer no calendário da Covax, por meio da qual se espera que mais de 180 países recebam o imunizante. O consórcio global já recebeu 17,7 milhões de doses de AstraZeneca do SII, das 60,5 milhões de doses que a Índia enviou no total. Muitos países estão contando com o programa para imunizar seus cidadãos.

A Índia, a terceira nação mais afetada do planeta pela pandemia, atrás de Estados Unidos e Brasil, vê reacender o estágio mais crítico da pandemia em seu território. Por isso, o governo deseja reunir esforços e acelerar a vacinação de seu 1,3 bilhão de habitantes. Até o momento, o segundo país mais populoso do mundo registrou mais 11,7 milhões de casos de Covid-19 e mais de 160 mil mortes.

O maior fabricante de vacinas do mundo iniciou uma campanha ambiciosa para imunizar 300 milhões de pessoas até o fim de julho, mas o projeto está atrasado, com apenas 50 milhões de pessoas vacinadas até o momento. E o aumento de casos, com mais de 40 mil novos contágios por dia, ameaça o progresso alcançado. A taxa era de menos de 9 mil no início de fevereiro, após o pico de 100 mil diários em setembro.

"Temos que reconhecer que atualmente enfrentamos um número crescente de casos em muitas regiões do país, e a vacinação deve ser um aspecto-chave no conjunto da resposta estratégica", disse à AFP o especialista em saúde, Anant Bhan.

 



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895