Índia exporta suas primeiras vacinas contra a Covid-19

Índia exporta suas primeiras vacinas contra a Covid-19

Maldivas e ao Butão serão primeiros locais a receber as doses

AFP

Índia começa a enviar doses de sua vacina para outros países nesta quarta-feira

publicidade

A Índia enviou, nesta quarta-feira, às Maldivas e ao Butão milhares de doses de vacina contra a Covid-19. O país tenta atender à crescente demanda de outros países ansiosos por imunizar suas populações, de acordo com as autoridades.

O governo indiano declarou que as Maldivas receberão, "como presente", nesta quarta, 100 mil doses da Covishield, vacina desenvolvida pela AstraZeneca/Oxford e fabricada pelo Serum Institute of India (SII), maior fabricante mundial de vacinas em volume.

O Butão também deve receber 150.000 doses da mesma droga. Então será a vez de Bangladesh, Nepal, Mianmar e Seychelles, disse o governo. "A farmácia do mundo distribuirá (vacinas) para superar o desafio da covid", tuitou o ministro indiano das Relações Exteriores, Subrahmanyam Jaishankar.

Veja Também

A Índia planeja oferecer cerca de 20 milhões de doses a seus vizinhos, informou a agência Bloomberg na semana passada. Sri Lanka, Afeganistão e Maurício, e também Brasil (com 12 milhões de doses comprometidas) e África do Sul serão os próximos países na longa lista de Estados que aguardam a vacina. Outras nações da América Latina e da África também terão suas entregas.

De acordo com especialistas, a política indiana visa fortalecer sua influência contra sua grande rival, a China, que também fornece vacinas para o exterior. O país de 1,3 bilhão de habitantes lançou sua campanha massiva de vacinação no sábado, administrando as vacinas Covishield e Covaxin, desenvolvida pela empresa indiana Bharat Biotech e cujos ensaios clínicos de fase 3 não foram concluídos.

A Bharat Biotech anunciou que aumentaria sua produção para 700 milhões de doses por ano.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895