Adesão da Suécia à Otan reduziria risco de conflito, diz informe

Adesão da Suécia à Otan reduziria risco de conflito, diz informe

Documento considera muito improvável um ataque armado

AFP

publicidade

A adesão da Suécia à Otan reduziria o risco de conflito no norte da Europa, diz um relatório apresentado nesta sexta-feira antes da decisão a ser tomada por esse país escandinavo, nos próximos dias, sobre um pedido de adesão à Aliança Atlântica. De acordo com este relatório estratégico, elaborado pelo governo e pelos partidos no Parlamento, "a adesão da Suécia à Otan elevaria o limiar (de deflagração) dos conflitos militares e teria um efeito dissuasivo na Europa do Norte".

Apesar de a Rússia ameaçar Suécia e Finlândia com "consequências" em caso de adesão à Aliança Transatlântica, o informe considera muito improvável um ataque armado, mas reconhece que não se pode excluir "provocações" e "represálias" russas. "Nossa opinião é que não sofreríamos um ataque militar convencional como reação a uma eventual candidatura à Otan", afirmou a ministra sueca das Relações Exteriores, Ann Linde, em entrevista coletiva. O relatório também conclui que, hoje, ao não pertencer à Otan, a Suécia não tem "garantias" de ajuda em caso de agressão.

Veja Também



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895