Alexei Navalny deixa prisão após 30 dias
capa

Alexei Navalny deixa prisão após 30 dias

Opositor russo denunciou repressão ao movimento de protestos

Por
AFP

Navalny foi detido em 24 de julho ao sair de casa

publicidade

O principal opositor ao Kremlin, Alexei Navalny, foi liberado nesta sexta-feira depois de passar 30 dias na prisão por ter convocado os russos a participar no grande movimento de protesto que abala Moscou, anunciou seu porta-voz. Navalny saiu da prisão sorridente, como demonstram duas fotografias publicadas no Twitter por seu porta-voz, Kira Yarmysh.

O opositor e ativista anticorrupção denunciou aos jornalistas "atos de terror destinados a amedrontar" por parte das autoridades russas em sua repressão do movimento de protesto em Moscou nas últimas semanas. "O movimento vai continuar crescendo e este regime lamentará fortemente o que tem feito", disse Navalny. Apesar da presença de policiais na saída de Navalny nesta sexta-feira, o ativista não foi detido novamente, com aconteceu com outros opositores liberados recentemente.

Alexei Navalny foi detido em 24 de julho em Moscou, ao sair de casa para correr e comprar flores para o aniversário de sua esposa, no auge dos protestos para criticar a exclusão das candidaturas de opositores às eleições locais previstas para 8 de setembro. Ele foi condenado a 30 dias de prisão por "infrações reiteradas das regras de organização de manifestações".

Durante o período de detenção, Navalny recebeu atendimento para o que os médicos classificaram de "grave reação alérgica". O opositor não descartou a possibilidade de "envenenamento". Várias manifestações não autorizadas para exigir eleições livres em Moscou terminaram com milhares de pessoas detidas nas últimas semanas.

Este é o maior movimento de protestos no país desde o retorno do presidente Vladimir Putin ao Kremlin em 2012. Muitos opositores moscovitas cumprem atualmente curtas penas de prisão e a organização de Navalny, o Fundo de Luta contra a Corrupção, é investigado por "lavagem de dinheiro".