América Latina precisa de pactos de Estado para eliminar trabalho infantil em 2025
capa

América Latina precisa de pactos de Estado para eliminar trabalho infantil em 2025

Diretora da Organização Internacional do Trabalho cobrou orçamento para políticas públicas e sociais

Por
AFP

publicidade

Os países latino-americanos devem apostar em pactos para conseguir erradicar o trabalho infantil para 2025, como se comprometeram depois de fracassarem na tentativa anterior para extinguir o problema, afirmou uma especialista da Organização Internacional do Trabalho (OIT). "Deveria haver um pacto de Estado para a proteção da infância", a fim de enfrentar o trabalho infantil, disse à AFP a espanhola Elena Montobbio, diretora-adjunta da OIT Andina.

Esse pacto deve incluir aumentos no orçamento para a implementação de políticas públicas e sociais em favor da infância, uma melhora nos sistemas de mensuração e localização dos municípios com maiores riscos e um compromisso entre empresários e organizações sindicais, segundo Montobbio.

A especialista, que falou no contexto da 19ª reunião regional americana da OIT no Panamá, pediu para "colocar as lentes do trabalho infantil em toda ação social" porque a região já está "em tempo de prorrogação" para eliminar o emprego de menores. Segundo a OIT, o trabalho infantil na América Latina passou de 14,1 milhões em 2008 para 10,5 milhões em 2016.

Essa redução aconteceu pela implementação de políticas sociais, um maior compromisso dos governos, o crescimento da economia e a redução da pobreza, afirmou a especialista. No entanto, não foi suficiente para eliminar essa prática, apesar da América Latina ter se comprometido a erradicar o trabalho infantil em 2016. Agora o compromisso é acabar com o emprego para menores de idade em 2025.