Ao menos seis pessoas ficam feridas em tiroteio em escola na Califórnia
capa

Ao menos seis pessoas ficam feridas em tiroteio em escola na Califórnia

Ataque ocorreu em Santa Clarita, a cerca de 40 km de Los Angeles

Por
Correio do Povo

Homem é procurado pela polícia

publicidade

Um tiroteio na manhã desta quinta-feira em uma escola no sul da Califórnia, nos Estados Unidos, deixou ao menos seis pessoas feridas, de acordo com as autoridades do condado de Los Angeles. Equipes de emergência convergiram para a Saugus High School, em Santa Clarita, onde ocorreu o ataque. Pouco mais de 1h30min após o atendimento do chamado, o xerife do condado de Los Angeles, Alex Villanueva, anunciou que o suspeito, um estudante de 15 anos, foi apreendido e recebe tratamento em um hospital da região.

Antes, a porta-voz da delegacia do xerife, Shirley Miller, havia dado detalhes sobre o jovem: "A descrição do atirador é um asiático de roupas escuras". "Estamos procurando por toda parte", afirmou, recomendando que as pessoas trancassem suas casas. Havia apenas um atirador.

Imagens aéreas da mídia local mostraram várias ambulâncias na escola, que tem cerca de 2,5 mil alunos. Os estudantes foram conduzidos em fila única pelo campus por oficiais armados. Várias ambulâncias foram avistadas no local, enquanto pais preocupados lotavam as ruas. O Hospital Henry Mayo Newhall diz que recebeu quatro pacientes em estado crítico e outro que tem saúde "regular". Já o Mission Hills está tratando dois estudantes da Saugus High School; a porta-voz da instituição, Patricia Aidem, disse que eles estão conversando.

O presidente Donald Trump está monitorando os relatórios do tiroteio, disse o vice-secretário de imprensa Judd Deere, em um comunicado: "O presidente está monitorando os relatórios em andamento de um tiroteio em uma escola em Santa Clarita, CA. A Casa Branca incentiva todos os que estão na área a seguirem o conselho da polícia local e dos socorristas".

A Califórnia possui algumas das leis mais rigorosas sobre armas nos Estados Unidos. Entre outras coisas, exige que todas as vendas de armas sejam processadas através de um revendedor licenciado, exigindo uma verificação de antecedentes; exige que os traficantes de armas obtenham uma licença estadual; proíbe a maioria das armas de assalto e rifles de calibre .50 e restringe a venda, transferência, fabricação e posse de revistas de munição de grande capacidade; e exige que todos os compradores de armas de fogo obtenham um certificado de segurança de armas de fogo, depois de passarem em um teste escrito.

Além disso, em 2014, se tornou a primeira jurisdição do país a promulgar uma lei de ordem de restrição à violência armada (também conhecida como ordem de restrição de armas de fogo ou ordem de proteção extrema contra riscos), permitindo que membros da família envolvidos solicitem um tribunal para remover temporariamente as armas de fogo de um parente que é considerado um perigo claro para o público ou para sua própria segurança durante uma crise mental.

Em 2016, os eleitores da Califórnia também adotaram um pacote abrangente de reformas de segurança de armas por meio da Proposição 63 (“Lei de Segurança para Todos de 2016”). Entre outras reformas importantes, a Proposição 63, quando implementada, fará dela o primeiro estado do país a exigir uma verificação de antecedentes no ponto de venda nas compras de munição.