Após 137 anos, Sagrada Família de Barcelona obtém permissão de obras

Após 137 anos, Sagrada Família de Barcelona obtém permissão de obras

Licença de obras prevê conclusão para 2026 com orçamento de 374 milhões de euros

Por
AFP

publicidade

Depois de 137 anos sendo construída "de forma ilegal", a emblemática basílica da Sagrada Família de Barcelona, projetada pelo arquiteto Antoni Gaudí, terá uma licença de obras concedida nesta sexta-feira pela prefeitura desta cidade espanhola. A Câmara Municipal aprovou a concessão desta licença por 4,6 milhões de euros ao templo católico que, como se descobriu em 2016, esteve construindo sem permissão urbanística desde 1882.

A responsável municipal de urbanismo, Janet Sanz, celebrou que tenham conseguido "resolver uma anomalia histórica da cidade: que uma obra emblemática como a Sagrada Família (...) não tivesse licença de obras, que estivesse fazendo de forma ilegal". A licença obtida pela comissão construtora da basílica contempla a conclusão do templo em 2026, com uma altura máxima de 172 metros e um orçamento de 374 milhões de euros.

A junta encarregada de sua construção argumentou que Gaudí pediu permissão de obra em 1885 à prefeitura de Sant Martí, um povoado agora absorbido dentro de Barcelona, e nunca recebeu resposta. Nas negociações com a prefeitura de Ada Colau (esquerda) também foi acertado, em outubro passado, o pagamento de 36 milhões de euros extras à Câmara de modo a contribuir para a melhora do urbanismo, da mobilidade e da limpeza do monumento. Projetada pelo famoso arquiteto catalão Antoni Gaudí, criador também da Casa Batlló, ou Park Güell, a Sagrada Família foi declarada Patrimônio Mundial da Unesco em 2005.

Financiada unicamente pelas doações dos fiéis e dos ingressos dos turistas, sua construção começou em 1882 e deve terminar em 2026, coincidindo com o centenário do falecimento de Gaudí. É o monumento mais visitado de Barcelona, com 4,5 milhões de pessoas em 2017, e uma das principais atrações turísticas do país.