Após a morte de professor vacinado com AstraZeneca, Piamonte italiana suspende seu uso

Após a morte de professor vacinado com AstraZeneca, Piamonte italiana suspende seu uso

Aplicação do imunizante foi suspenso enquanto se comprova se existe algum vínculo de causalidade entre a vacinação e a morte

AFP

Vacinação foi suspensa até se comprova se existe algum vínculo de causalidade da vacina com a morte

publicidade

A região de Piamonte, no Nordeste da Itália, decidiu neste domingo (14) a suspensão provisória da vacina da AstraZeneca, após a morte de um professor vacinado no dia anterior, anunciou a autoridade de saúde regional.

"Esta é uma medida de extrema precaução, enquanto se comprova se existe algum vínculo de causalidade entre a vacinação e a morte", explicou em um comunicado o conselheiro de Saúde da região piamontesa, Luigi Genesio Icardi.

O professor, cuja idade não foi revelada, morreu neste domingo em Biella, cidade localizada ao norte de Turín.

A Itália decidiu na quinta-feira passada como medida de precaução proibir o uso de um lote de vacinas anti-covid da AstraZeneca/Oxford por causa do medo relacionado à formação de coágulos sanguíneos.

Inspetores do ministério da Saúde italiano viajaram para Sicília neste domingo para investigar a morte de um soldado, de 43 anos, em 9 de março na grande ilha do sul da Itália após receber uma injeção de uma dose da vacina da AstraZeneca. No sábado foi realizada uma autópsia no hospital de Catania (leste de Sicília).

 

 

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895