Argentina adotará passaporte vacinal para eventos a partir de janeiro

Argentina adotará passaporte vacinal para eventos a partir de janeiro

Média de contágios por Covid-19 aumentou nas últimas semanas

AFP

publicidade

A Argentina adotará um passaporte sanitário para eventos maciços a partir de 1º de janeiro. A meta é reduzir a curva de contágios de Covid-19, que está em ascensão há várias semanas, noticiaram neste domingo autoridades locais.

Segundo a nova determinação, todos os maiores de 13 anos deverão demonstrar que estão com o esquema vacinal completo contra o coronavírus para entrar em locais de dança, salões de festas ou similares que se realizem em espaços fechados. Também terão que demonstrar que estão imunizados se quiserem participar de viagens em grupo ou eventos multitudinários com mais de mil pessoas, tanto em espaços fechados quanto abertos, segundo informação antecipada pelos jornais locais Clarín, La Nación e Página/12.

A obrigatoriedade do passaporte sanitário já tinha sido adotada pelos governos das províncias de Buenos Aires, Tucumán e Salta, mas agora a medida será estendida a todo o país.

Com 45 milhões de habitantes, a Argentina tem tido um aumento leve, mas sustentado, dos casos nas últimas semanas, embora os novos contágios continuem sendo baixos em comparação com o pico de junho passado. Na última semana, foi registrada uma média de 2.500 contágios e 16 óbitos diários, segundo balanço da AFP com base em dados oficiais, após ter contabilizado menos de mil casos novos por dia em outubro. Desde o início da pandemia, a Argentina registra mais de 5,35 milhões de casos e 116.771 mortes pela Covid-19.

 



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895