Atirador de Dallas é identificado pela polícia norte-americana
capa

Atirador de Dallas é identificado pela polícia norte-americana

Homem, de 25 anos, era morador de Mesquite, subúrbio da capital texana

Por
AFP

Atirador de Dallas é identificado pela polícia norte-americana

publicidade

O homem suspeito de abrir fogo contra policiais em Dallas, matando cinco deles e ferindo outros sete, foi identificado como o morador do Texas Micah Johnson, de 25 anos, informaram meios de comunicação americanos nesta sexta-feira. Johnson vivia no subúrbio de Mesquite, em Dallas, informaram a CBS News e a NBC News. Ele foi morto em uma tensa troca de tiros com a polícia após o ataque, que também deixou dois civis feridos.




Os números da tragédia foram atualizados na manhã desta sexta-feira pela polícia de Dallas: 11 policiais foram baleados em emboscada montada pelos atiradores. Desse total, cinco policiais morreram. Um dos suspeitos foi cercado na madrugada por várias horas pela polícia. O cerco terminou às 3h30min, com a morte do suspeito, informou o prefeito de Dallas Mike Rawlings.

O assassinato dos policiais ocorreu no momento em que manifestantes faziam um protesto pacífico no centro de Dallas contra a ação violenta de policiais brancos norte-americanos que, durante esta semana, mataram dois homens negros. Uma das ações ocorreu na terça-feira, em Louisiana, com a morte de Alton Sterling. A outra ação policial ocorreu na quarta-feira, em Minnesota, que resultou na morte de Philando Castela.

A polícia acredita que o tiroteio em Dallas contra os policiais foi executado por quatro indivíduos que atuaram em conjunto. A polícia de Dallas promove uma extensa operação no centro da cidade, após o suspeito do tiroteio, no início do dia, ter dito que havia bombas plantadas na área.


"Deixe-me apenas dizer que, mesmo que eu tenha recomendado que devemos nos preocupar com a discriminação racial no nosso sistema de Justiça criminal, eu também digo que a nossa polícia tem um trabalho extremamente difícil", destacou Obama.

O presidente norte-amerciano aproveitou para reafirmar a necessidade de o Congresso dos Estados Unidos aprovar o controle de armas. "Sabemos que, quando as pessoas têm armas poderosas, infelizmente fazem ataques como esses, mortais e trágicos". Obama chegou ontem à noite a Varsóvia, para participar da Cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).