Bélgica abre investigação após visita de radicais a campo de concentração
capa

Bélgica abre investigação após visita de radicais a campo de concentração

Operação apura incitação ao ódio e negacionismo por parte do grupo Right Wing Resistence

Por
AFP

publicidade

A promotoria na cidade belga de Antuérpia abriu neste sábado uma investigação por incitação ao ódio e / ou negacionismo após uma visita de um grupo de extrema direita ao forte de Breendonk, uma antiga prisão para presos políticos durante a ocupação nazista no norte da Bélgica.

"Um grupo de extremistas de direita visitou no meio deste ano o forte de Breendonk, e um membro do grupo fez a saudação nazista", informou a promotoria. O caso, revelado pelo jornal belga De Morgen, foi denunciado à polícia.

O jornal publicou a foto de um homem, identificado como membro da seção flamenca do grupo de extrema direita Right Wing Resistance, fazendo a saudação nazista no campo de prisioneiros, declarado monumento em homenagem às vítimas da repressão durante a II Guerra Mundial.

"É um tapa na cara das vítimas e de seus parentes. Metade das pessoas que foram deportadas para cá não sobreviveram à guerra", disse o administrador do forte, Dimitri Roden, citado pela imprensa belga.