Bolsonaro diz compreender reclamação palestina sobre escritório em Jerusalém

Bolsonaro diz compreender reclamação palestina sobre escritório em Jerusalém

Presidente reiterou desejo de mudar embaixada brasileira

Correio do Povo

Bolsonaro falou da intenção de mudar embaixada brasileira para Jerusalém

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, durante o segundo dia de visita a Israel, que é direito dos palestinos reclamarem de sua intenção de mudar a embaixada brasileira em Israel para Jerusalém. Um escritório de negócios sem status diplomático será aberto pelo Brasil no território (Jerusalém) e isso gerou descontentamento na Palestina, tanto que o embaixador brasileiro no local foi convocado para prestar esclarecimentos. "É direito deles reclamar", sintetizou. 

Em entrevista a jornalistas, Bolsonaro explicou que pretende fazer isso antes do fim do seu mandato, em 2022, segundo publicação de hoje do jornal Folha de São Paulo. "Tenho compromisso, mas meu mandato vai até 2022. Tem que fazer as coisas devagar, com calma, sem problemas", disse. A declaração de Bolsonaro foi dada após um almoço em um hotel de Jerusalém, um dia após o anúncio de abertura do escritório.  

Bolsonaro negou que tenha intenção de ofender qualquer representante. "O que eu quero é que seja respeitada a autonomia de Israel. Se eu fosse abrir negociações com Israel, eu colocaria a embaixada onde? Em Jerusalém. Não queremos ofender ninguém", resumiu. 

Nesse domingo, a Autoridade Palestina condenou a iniciativa do governo brasileiro e lembrou que o ato viola a legitimidade do povo da Palestina e as resoluções internacionais. Os palestinos reivindicam Jerusalém como capital, a exemplo de Israel. Enquanto o conflito não é resolvido, a maior parte dos países segue a orientação da Organização das Nações Unidas (ONU) e mantém suas representações em Tel Aviv. Apenas Estados Unidos e a Guatemala mudaram suas embaixadas para Jerusalém. 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895