Canadá apresenta desculpas formais por discriminação contra gays no serviço público

Canadá apresenta desculpas formais por discriminação contra gays no serviço público

País responde a ação coletiva por demissões influenciadas por questões de gênero até 1990

AFP

País responde a ação coletiva por demissões influenciadas por questões de gênero até 1990

publicidade

O primeiro-ministro Justin Trudeau apresentou nesta terça-feira um pedido de desculpas em nome do governo do Canadá  por décadas de discriminação contra gays e lésbicas. Trudeau também anunciou que destinará mais de 78 milhões de dólares para resolver uma ação coletiva interposta por milhares de pessoas que perderam seus trabalhos por sua orientação sexual.

"Pela opressão às lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e comunidades de duplo espírito, nos desculpamos", disse Trudeau em discurso no Parlamento. "Estávamos enganados, lamentamos por isto e jamais permitiremos que isto volte a acontecer".

A desculpa foi dirigida a pessoas assediadas ou demitidas do serviço público federal, do Exército do Canadá, da polícia e das agências de espionagem entre 1950 e 1990 pelo que então se denominou como "sexualidade anormal". As autoridades trataram de erradicar funcionários homossexuais porque temiam que fossem alvo de chantagem dos soviéticos durante a Guerra Fria.

De acordo com um relatório da Eagle Canada, a polícia criou em 1960 uma lista de 9 mil homossexuais suspeitos na área de Ottawa. Também desenvolveram e utilizaram a chamada "máquina de fruta" para tratar de identificar, por meio da pupila, a reação de "suspeitos" à pornografia gay. Em muitos casos, as demissões ou ausência de promoção tiveram consequências fatais.

O Canadá descriminalizou a homossexualidade em 1969, mas apenas em 1992 o governo suspendeu suas políticas de exclusão, após a justiça ordenar às Forças Armadas a admissão de gays e lésbicas.

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895