Casa Branca e sede da CNN têm fortes protestos por violência racial da polícia dos EUA
capa

Casa Branca e sede da CNN têm fortes protestos por violência racial da polícia dos EUA

Manifestações após a morte de George Floyd se espalharam pelo país ao longo da sexta-feira

Por
Correio do Povo, com AE e AFP

Viaturas de polícia foram depredadas em Atlanta


publicidade

Os protestos que denunciam a violência policial contra negros se espalharam pelos Estados Unidos, nesta sexta-feira, transformando vários centros urbanos em cenas de guerra. No início da noite, milhares de manifestantes começaram depredações em frente à sede da rede CNN em Atlanta, enquanto outros cercavam a Casa Branca, em Washington.

Na CNN, vidros da fachada do prédio foram quebrados inicialmente, enquanto carros de polícia eram depredados. Com a escalada dos ânimos, um rojão foi atirado no hall de entrada, provocando grande explosão. Forças de segurança tentavam dispersar a multidão com armas de efeito moral, como granadas de fumaça.

Em Washington, o Serviço Secreto dos EUA ordenou que a Casa Branca fosse fechada por cerca de uma hora, até que a manifestação se dispersasse em direção ao Congresso.

Charlotte teve aglomeração em frente a uma delegacia de polícia. Conforme informações da autoridades municipais, várias pessoas foram presas, após arremessarem pedras e objetos contra o prédio policial

A onda de protestos atingiu pelo menos dez cidades americanas. A morte de Floyd causou uma  onda de indignação  depois da divulgação de um vídeo que mostra um policial branco ajoelhado no pescoço dele.


Nas imagens, divulgadas na quarta-feira, 27, a vítima reclama e diz repetidamente:  "Não consigo respirar" , enquanto um policial continua ajoelhado sobre seu pescoço. O policial Derek Chauvin foi acusado formalmente nesta sexta-feira, 29, por assassinato em terceiro grau e morte imprudente.