Chile detecta primeiro caso da cepa britânica de Covid-19

Chile detecta primeiro caso da cepa britânica de Covid-19

Passageira chegou ao país depois de estar em Dubai e Londres

AFP

De acordo com o Ministério da Saúde local, primeiro caso é de uma passageira que esteve recentemente em Dubai e Londres

publicidade

As autoridades de Saúde do Chile informaram nesta terça-feira que detectaram o primeiro caso da nova cepa do coronavírus, em uma chilena que chegou em Santiago e depois se deslocou para o Sul do país. O contágio foi detectado após uma análise do teste de PCR feito na passageira depois de apresentar sintomas assim que chegou no Chile, informou a subsecretária do Ministério da Saúde, Paula Daza.

A passageira chegou no Chile em 21 de dezembro procedente de Madri, após passar por Dubai e Londres. Em seguida, pegou um avião para a cidade de Temuco, a cerca de 800 km ao sul de Santiago.

Após detectar a nova cepa, as autoridades da Saúde anunciaram que a partir de 31 de dezembro todos os passageiros - chilenos e estrangeiros residentes no Chile - que entrarem no país deverão fazer quarentena obrigatória de 10 dias. O país reabriu suas fronteiras em meados de novembro depois de um fechamento aéreo e terrestre desde março. A medida pode ser suspensa caso seja apresentado um PCR negativo (do viajante) feito em até sete dias, explicou Daza.

Os novos contágios têm crescido nas últimas semanas no Chile. Nos últimos 14 dias, houve um aumento de 28%, chegando a 603.986 infectados e 16.488 mortes confirmadas desde o primeiro caso no país em 3 de março. De acordo com especialistas, esta mutação do vírus é mais contagiosa. Sua detecção provocou novas medidas em centenas de países, incluindo a Espanha, e impuseram restrições aos voos com o Reino Unido.

O Chile cancelou em 20 de dezembro os voos vindos do Reino Unido e proibiu a entrada de estrangeiros que estiveram na Grã-Bretanha nos últimos 14 dias após o aparecimento da nova cepa da Covid-19. O cancelamento afeta os "voos diretos" entre Chile e Reino Unido, enquanto que a proibição recai sobre "os estrangeiros não residentes" que tenham estado nas últimas duas semanas nesse país, diz um comunicado oficial. No entanto, os chilenos e estrangeiros residentes no Chile que visitaram o Reino Unido nas últimas duas semanas, deverão realizar uma quarentena obrigatória de 14 dias.

Vacinação

A vacinação em território chileno teve início na semana passada, com as primeiras 10 mil doses da vacina contra o coronavírus dos laboratórios Pfizer/BioNTech. O Chile é o segundo país da América Latina a receber o fármaco depois do México, informou a presidência.

As primeiras doses estão sendo aplicadas em 100% dos profissionais que trabalham em Unidades de Tratamento Intensivo com pacientes em condições críticas nas regiões de La Araucanía, Biobío e Magallanes, Sul do país, e um terço dos profissionais que trabalham no mesmo setor na Região Metropolitana, onde vive quase metade da população, de 18 milhões de habitantes.

Em uma segunda etapa serão vacinados os demais profissionais da saúde, os idosos e pessoas com doenças crônicas. Depois outras pessoas de grupos de risco e, no final, a campanha será ampliada para a população geral do Chile, um dos países mais afetados pela pandemia na América Latina.

O presidente Sebastián Piñera anunciou que o Chile conseguiu assegurar o fornecimento de 30 milhões de doses da vacina, o que permitiria inocular 15 dos 18 milhões de habitantes do país durante o primeiro semestre de 2021.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895