Chile tem incêndio e violentos choques em nova marcha de protestos

Chile tem incêndio e violentos choques em nova marcha de protestos

Manifestantes foram convocados na última sexta-feira do ano para a Praça Itália, em Santiago

Por
AFP

Em meio a confrontos, um incêndio foi registrado no Cinema Arte Alameda


publicidade

Milhares de pessoas voltaram nessa sexta-feira para enfrentar violentamente a polícia de Santiago, em uma nova marcha convocada em apoio a reivindicações sociais que eclodiram há mais de dois meses no Chile. Por meio das redes sociais, os manifestantes foram convocados a comparecer na Praça Itália, em Santiago, um epicentro de protestos semanais, desde 18 de outubro, contra o governo de direita Sebastián Piñera.

Como aconteceu na semana passada, a polícia cercou a área ao redor da praça, sem deixar que as pessoas se reunissem, e dispersou os manifestantes com jatos de água e gás lacrimogêneo. Alguns grupos de manifestantes conseguiram ocupar a praça e depois foram dispersos por agentes de choque.

Em meio a confrontos, um incêndio foi registrado no Cinema Arte Arte Alameda, localizado perto da Praça Itália. "Pedi aos Carabineiros o máximo compromisso de salvaguardar as pessoas que se manifestam pacificamente e solicitei o maior esforço para proteger a segurança dos cidadãos, aderindo aos protocolos e normas que regem as forças de ordem e o país", disse o prefeito de Santiago, Felipe Guevara Stephens.


As autoridades tentam retomar a normalidade do centro de Santiago, afetada pela convulsão social que começou com os protestos contra o aumento da tarifa do metrô, mas que resultou em uma demanda prolongada por profundas transformações sociais, à qual o governo Piñera tem dado uma resposta "insuficiente" de acordo com os manifestantes.