Colômbia prorroga confinamento após superar nove mil mortes na pandemia

Colômbia prorroga confinamento após superar nove mil mortes na pandemia

Com cerca de 50 milhões de habitantes, país se tornou o quinto mais atingido pela pandemia em números absolutos de falecidos e contaminações

Por
AFP

Medidas foram estendidas até 30 de agosto


publicidade

O presidente da Colômbia, Iván Duque, anunciou na terça-feira a prorrogação "até 30 de agosto" das medidas de confinamento contra a pandemia, após o aumento das contaminações, que já deixaram mais de nove mil mortos em quase cinco meses. Ele estendeu a vigência das restrições impostas em 25 de março e que deveriam ser suspensas em 1º de agosto, embora com diversas exceções devido à crise econômica e ao desemprego desenfreado no país.

"Vem pela frente semanas que serão desafiadoras em diversos lugares do território (...) Nosso pedido é que nestas quarto semanas todos entendamos que precisamos continuar fazendo um grande esforço para nos proteger", declarou Duque na mensagem diária aos colombianos.

Nessa terça, o Ministério da Saúde registrou 297 mortes nas últimas 24 horas, o que fez a Colômbia alcançar 9.074 falecimentos no total desde a detecção do primeiro caso de coronavírus no país, em 6 de março. Foram também 10.284 novos casos no último dia, um recorde, para um total de 267.385 contaminações.


A Colômbia, com cerca de 50 milhões de habitantes, se tornou o quinto país mais atingido pela pandemia em números absolutos de falecidos e contaminações. Com população de oito milhões de habitantes, a capital Bogotá é o epicentro da crise no país com 34% do total de casos. Contudo, o governo acredita que a pandemia entrará logo em uma "tendência decrescente".