Condições catastróficas agravam os incêndios na Austrália

Condições catastróficas agravam os incêndios na Austrália

Sidney, a maior cidade do país, está coberta pela fumaça dos incêndios que ardem ao norte, ao sul e ao oeste

AFP

Incêndios mataram 10 pessoas e destruíram mais de 800 casas

publicidade

Uma intensa onda de calor favorece a propagação dos incêndios que afetam a Austrália e os focos fora de controle nas proximidades de Sydney foram agravados por estas condições "catastróficas", afirmaram as autoridades. "Sobre os incêndios, nós prevemos condições muito difíceis", advertiu a primeira-ministra de Nova Gales do Sul, Gladys Berejiklian. "Como sabem, as condições são catastróficas, o que significa que qualquer incêndio ativo pode se tornar muito perigoso rapidamente", completou.

Sydney, a maior cidade do estado e do país, com 5,2 milhões de habitantes, está coberta pela fumaça dos incêndios que ardem ao norte, ao sul e ao oeste. Alguns a apenas 130 km da cidade. As temperaturas podem subir a 47 °C em algumas áreas de Nova Gales do Sul. Em Sydney, na costa, deve se aproximar de 37° C, com uma queda no fim do dia.

Os moradores da pequena cidade de Bargo, 100 km ao sudeste de Sydney, foram retirados de suas casas após o avanço do incêndio que já devastou 185.000 hectares. "É horrível, desalentador, dirigir na região. Nos sentimos bastante isolados com as estradas cortadas. Nossos parentes não podem chegar até aqui", disse Corey Cartes, um habitante desta cidade de 4.000 habitantes. Cartes recebeu ordem para abandonar a região há dois dias, mas ficou na cidade para tentar proteger sua residência. "Todos oferecem ajuda, mas não há nada que possamos fazer, apenas permanecer longe do perigo e esperar que os bombeiros consigam fazer seu trabalho", completa.

Ao menos três milhões de hectares foram devastados em todo o país durante os últimos meses de incêndios, que mataram 10 pessoas e destruíram mais de 800 casas.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895