Confrontos em La Paz marcam primeiro dia do governo provisório da Bolívia

Confrontos em La Paz marcam primeiro dia do governo provisório da Bolívia

Manifestação ocorreu enquanto a presidente interina empossava seu novo comando militar

Por
AFP

Manifestação ocorreu enquanto a presidente interina empossava seu novo comando milita


publicidade

Violentos confrontos foram registrados, nesta quarta-feira, no centro de La Paz entre manifestantes leais ao ex-presidente Evo Morales e efetivos policiais e militares, que levaram às ruas pelo menos um blindado, no primeiro dia do governo provisório da Bolívia.

Os confrontos foram registrados a três quadras da praça Murillo, onde no mesmo instante a presidente interina, Janine Añez, empossava seu novo comando militar, constataram jornalistas da AFP. Os manifestantes, muitos vindos de El Alto, cidade vizinha habitada sobretudo por migrantes, exigem a restituição de Morales ao poder e o respeito aos seus símbolos, como a 'whipala', bandeira multicolorida que representa as nacionalidades indígenas e que foi desrespeitada por policiais nos últimos dias. 

Policiais atiraram bombas de gás lacrimogênio na direção dos manifestantes, que se concentraram na praça de San Francisco, cenário de históricos eventos políticos, enquanto um blindado percorria o perímetro, sem efetuar disparos, aparentemente com fins dissuasivos. 


O "Estado precisa de nós mais do que nunca para manter a paz", reafirmou o general Carlos Orellana, novo comandante das três Armas (Exército, Marinha e Aeronáutica). As manifestações se concentraram em La Paz, Cochabamba, Sucre e Santa Cruz, onde os indígenas fizeram cortes viárias em apoio a Morales, asilado no México, que nesta quarta-feira se disse disposto a retornar para apaziguar seu país