Coreia do Norte critica planos de exercícios militares conjuntos entre EUA e Coreia do Sul

Coreia do Norte critica planos de exercícios militares conjuntos entre EUA e Coreia do Sul

Autoridade norte-coreana disse na quarta-feira que o anúncio era equivalente a uma "declaração de confrontação"

AFP

Estados Unidos não têm planos de pular os próximos exercícios combinados este ano

publicidade

A Coreia do Norte criticou os planos dos Estados Unidos de realizar um exercício militar conjunto com o vizinho do Sul em dezembro, enquanto as negociações sobre o arsenal nuclear de Pyongyang permanecem estagnadas. No ano passado, os Estados Unidos cancelaram o exercício aéreo combinado com a Coreia do Sul, conhecido como "Ace Vigilant", por uma questão diplomática com a Coreia do Norte. Pyongyang considera essas manobras um teste de invasão.  O porta-voz do Pentágono, David Eastburn, afirmou esta semana que os Estados Unidos não têm planos de pular os próximos exercícios combinados este ano. 

Uma importante autoridade norte-coreana disse na quarta-feira que o anúncio era equivalente a uma "declaração de confrontação" que poderia comprometer o processo diplomático. "Temos enfatizado repetidamente que exercícios militares conjuntos nos forçarão a reconsiderar as medidas importantes que já tomamos", disse Kwon Jong Gun, do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte.

"Nossa paciência está atingindo seu limite", disse Kwon, citado pela agência de notícias oficial KCNA. Kwon fez parte da delegação norte-coreana em negociações nucleares com os Estados Unidos na Suécia, no mês passado, quando Pyongyang culpou Washington pela falta de soluções "novas e criativas". As negociações pararam desde que a cúpula de fevereiro entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente americano, Donald Trump, em Hanói, terminou sem acordo. Desde então, Pyongyang realizou uma série de testes com mísseis, o último deles na semana passada.

 

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895