Coronavírus começa a arrefecer em Israel em meio a célere processo de vacinação

Coronavírus começa a arrefecer em Israel em meio a célere processo de vacinação

Quase um quarto da população de cerca de nove milhões de pessoas foram vacinadas

AE

Um quarto da população de Israel já está imunizada contra a Covid-19 e números começam a cair

publicidade

Dados preliminares de Israel sugerem que as taxas de infecção de Covid-19 começaram a diminuir entre um grupo de receptores de vacina contra a doença, duas semanas depois de terem recebido a primeira injeção do imunizador da Pfizer e da BioNTech. O pequeno país - cuja população de cerca de nove milhões é quase o tamanho da cidade de Nova York - vacinou quase um quarto de sua população em pouco menos de um mês, sendo a primeira nação a atingir essa marca enquanto luta contra o aumento de novas infecções.

O maior operador de planos de saúde de Israel, Clalit Health Services, comparou as taxas de positividade do teste entre 200 mil pessoas com mais de 60 anos que receberam a vacina com 200 mil que não receberam.

Até o dia 14, havia pouca diferença entre os dois grupos. Mas depois disso, os dados mostraram uma queda de 33% nas taxas de infecção entre aqueles que já haviam sido vacinados, em comparação com aqueles que não haviam. A Clalit observou que o número de pessoas infectadas foi estatisticamente significativo, mas disse que não divulgaria os números finais até que seu estudo fosse publicado.

A Pfizer diz que as pessoas devem receber as duas doses da vacina para que ela seja totalmente eficaz. Nos testes da Pfizer, a vacina mostrou demorar cerca de 12 dias para começar a proteger as pessoas. 

Veja Também

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895