Covax receberá 110 milhões de doses de vacinas chinesas anticovid-19

Covax receberá 110 milhões de doses de vacinas chinesas anticovid-19

Acordo inclui possibilidade comprar até 550 mil doses de imunizantes da Sinovac e Sinopharm até o primeiro semestre de 2021

AFP e Correio do Povo

Covax receberá 110 milhões de doses de vacinas chinesas anticovid-19

publicidade

O mecanismo Covax Facility receberá 110 milhões de doses de vacinas anticovid-19 das chinesas Sinovac e Sinopharm para ajudar este sistema de distribuição internacional enfrentar a escassez de imunizantes em meio ao ressurgimento da pandemia - anunciou a Aliança para a Vacinação (Gavi) nesta segunda-feira. O acordo firmado inclui ainda opções de compra de doses adicionais nos próximos meses, acrescenta um comunicado da Gavi, que, junto com a Organização Mundial da Saúde (OMS), criou o sistema de distribuição de vacinas anticovid-19 para países de renda baixa.

Os acordos, que chegam em um momento em que a variante Delta representa um risco crescente para os sistemas de saúde. Gavi se compromete a comprar 60 milhões de doses da Sinopharm, que estarão disponíveis de julho a outubro de 2021. Além disso, a Alliance tem a opção de adquirir mais 60 milhões de doses no final de 2021 e mais 50 milhões de doses no primeiro semestre de 2022, se necessário. Isso equivale a um total potencial de 170 milhões de doses da vacina Sinopharm que poderiam ser disponibilizadas para os participantes autofinanciados do Mecanismo.

O convênio da Sinovac abrange 50 milhões de doses a serem disponibilizadas de julho a setembro de 2021. A Gavi também tem a opção de adquirir mais 150 milhões de doses no final do ano e mais 180 milhões de doses no primeiro semestre de 2022. No total, são até 380 milhões de doses potenciais da vacina deste laboratório.

"Este é mais um exemplo da estratégia de gerenciamento de portfólio ativo de Gavi, garantindo que a facilidade tenha opções em face de restrições, como atrasos no fornecimento. Graças a este acordo, e porque essas vacinas já receberam a Lista de Uso de Emergência da OMS, podemos começar a fornecer doses aos países imediatamente",  Dr. Seth Berkley, CEO da Gavi.

 

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895