Democratas vão confirmar candidatura de Biden em inédita convenção virtual

Democratas vão confirmar candidatura de Biden em inédita convenção virtual

Uma das atrações da convenção será a presença do ex-presidente Barack Obama e de sua esposa Michelle

AFP

Convenção será exibida no horário nobre da TV nos Estados Unidos

publicidade

Joe Biden será designado oficialmente como o candidato dos democratas à Casa Branca em uma inédita convenção virtual que começará na segunda-feira e que, assim como as primárias e a campanha presidencial nos Estados Unidos, foi reduzida devido à pandemia.

O evento acontecerá sem a presença de público, sem balões, sem aplausos e sem o candidato, que vai discursar de forma retoma durante a convenção, que pretende estimular as bases democratas a menos de três meses das eleições.

Ao lado da companheira de chapa, Kamala Harris, a primeira candidata negra à vice-presidência por um dos grandes partidos americanos, Biden busca unificar os democratas.

De sua residência em Delaware, Biden pronunciará um discurso na quinta-feira para aceitar a candidatura, uma mensagem com a qual tentará motivar um país que enfrenta ao mesmo tempo uma crise de saúde, uma devastação econômica e uma profunda reflexão sobre as desigualdades raciais.

Os democratas anunciaram que nenhum orador comparecerá pessoalmente à convenção programada para 17 a 20 de agosto em Milwaukee, Wisconsin, um estado-chave para conquistar a Casa Branca. Para a cidade, que se preparava há vários meses para o evento, a notícia foi um duro golpe.

Na sexta-feira, as ruas do centro de Milwaukee estavam praticamente vazias e os moradores lamentavam a festa que não vai acontecer. "Eu pensei que seria bom para a cidade e todos nós pensamos assim", disse Dan, que não revelou o sobrenome porque porque trabalha nas forças de segurança. "Foi um ano ruim", completou, através de sua máscara. Biden, 77 anos, vai discursar na última noite do evento, a milhares de quilômetros de distância.

A polêmica iniciada esta semana por Trump, que divulgou uma tese falsa de que Kamala Harris não poderia disputar a vice-presidência porque seus pais são imigrantes, certamente será abordada na convenção. Uma das atrações da convenção, que será exibida no horário nobre da TV nos Estados Unidos, será a presença do ex-presidente Barack Obama e de sua esposa Michelle.

Na segunda-feira, a primeira noite do evento, o principal momento será o discurso da ex-primeira-dama, o que acontecerá após uma maratona de reuniões, que incluem encontros da Liga de Congressistas Hispânicos, das mulheres do partido, assim como da juventude democrata.

A transmissão pela televisão começará às 20h locais (22h de Brasília) e deve terminar duas horas mais tarde. Outra figura importante da primeira noite é o senador Bernie Sanders, que disputou as primárias com Biden e anunciou a desistência em abril.

Joe Biden quer evitar os erros da campanha de 2016, quando uma disputa entre os partidários de Hillary Clinton e de Sanders prejudicou o partido. Com este objetivo, a campanha procurou as vozes mais progressistas identificadas com Sanders para projetar uma união contra o republicano Trump.

Entre este grupo, a principal atração é a congressista Alexandria Ocasio-Cortez, embora o programa atribua apenas um minuto para ela, o que gerou polêmica durante a semana nas redes sociais. Também devem falar a esposa de Biden, Jill, o ex-presidente Bill Clinton e a candidata de 2016 Hillary.

A convenção também reservará um lugar especial para um sector chave que os democratas tentam conquistar para chegar à Casa Branca: os republicanos arrependidos, com o ex-governador de Ohio John Kasich como representante.

Trump na ofensiva

Christopher Arterton, professor emérito da Universidade George Washington, destacou que a falta de elementos presenciais na convenção é "triste", mas compreensível ante a gravidade da pandemia. O analista destacou que há componentes críticos das convenções que podem ser marcados, como as negociações e discussões internas.

Os democratas não escolheram Wisconsin ao caso, pois em 2016 Trump conquistou no estado uma surpreendente vitória por pequena margem, que somada a outros resultados positivos na região o levaram à Casa Branca.

Desta vez, os democratas querem mobilizar os eleitores negros que optaram pela abstenção há quatro anos e também desejam reconquistar os agricultores, sem esquecer os eleitores nos subúrbios. Trump utilizou o fato de a convenção acontecer de forma virtual para afirmar que os democratas "ignoram mais uma vez o povo maravilhoso de Wisconsin. E anunciou que comparecerá ao estado na segunda-feira para fazer um discurso sobre "os fracassos de Joe Biden nas áreas de empregos e economia".

Trump não comparecerá à convenção republicana, prevista para 24 a 27 de agosto, e aceitará a indicação do partido em um local que ainda será definido.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895