Dois americanos que participaram de incursão armada na Venezuela são condenados a 20 anos de prisão

Dois americanos que participaram de incursão armada na Venezuela são condenados a 20 anos de prisão

Segundo o governo Maduro, o plano visava uma tentativa de golpe contra o líder socialista

AFP

Nicolás Maduro diz que plano visava sua captura, e a instalação de Juan Guaidó, seu maior opositor, no poder.

publicidade

Dois americanos foram condenados a 20 anos de prisão na Venezuela, acusados de terrorismo, entre outros crimes, por uma incursão armada fracassada no país caribenho em maio passado, anunciou o procurador-geral, Tarek William Saab.

Luke Alexander Denman, de 34 anos, e Airan Berry, de 41, "admitiram ter cometido crimes" de "conspiração, associação (para delinquir), tráfico ilícito de armas de guerra e terrorismo", e foram condenados a "uma pena de prisão de 20 anos", escreveu Saab no Twitter. O funcionário postou nessa rede social fotos de veículos, armas e documentos de identidade.

Denman e Berry estão entre as dezenas de pessoas detidas por uma incursão armada ao longo da costa norte da Venezuela, com apoio dos Estados Unidos e da vizinha Colômbia, que o governo de Nicolás Maduro disse ter frustrado em 3 de maio, com saldo de oito mortos.

O plano, segundo o governo Maduro, visava a "captura, detenção e remoção" do líder socialista e a "instalação" de Juan Guaidó, líder parlamentar da oposição reconhecido como presidente da Venezuela por cinquenta países, incluindo os Estados Unidos. Washington e Bogotá negaram qualquer participação no evento.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895