Dois navios humanitários seguem para barco de Banksy no Mediterrâneo

Dois navios humanitários seguem para barco de Banksy no Mediterrâneo

Navio "Louise-Michel" resgatou 130 náufragos nesta sexta-feira, mas enfrenta problemas para seguir em frente

AFP

A bordo de um dos navios há vários migrantes feridos e um morto.

publicidade

Dois navios humanitários se dirigem para o navio fretado pelo artista urbano Banksy no Mediterrâneo, com 219 migrantes a bordo e que enviou vários pedidos de socorro - informaram diferentes fontes neste sábado.

O "Louise-Michel", que zarpou da Espanha em 18 de agosto, está tendo problemas para seguir em frente, após resgatar outros 130 náufragos na sexta-feira, e pediu "ajuda imediata". A bordo, há um migrante morto e vários feridos.

O "Sea-Watch 4" - navio que se encontra no Mediterrâneo com 201 migrantes a bordo e também à espera de um porto de acolhimento - decidiu ir até o "Louise-Michel" para ajudá-lo, "levando-se em conta a falta de reação" das autoridades, disse à AFP um porta-voz da ONG alemã Sea-Watch, que fretou este navio junto com a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF).

"Temos uma clínica a bordo do ''Sea-Watch 4'' e vamos ver como podemos ajudar. Talvez também possamos levar migrantes a bordo, embora devamos respeitar os procedimentos da Covid", afirmou o responsável pelas questões humanitárias de MSF na Holanda, Hassiba Hadj-Sahraoui.

Em paralelo, o coletivo de esquerda italiano Mediterrânea anunciou o envio do navio "Mare Ionio", atualmente no porto de Augusta, na Sicília, para socorrer o "Louise-Michel".

Este grupo também mencionou a falta de resposta dos governos de Itália e Malta diante do "perigo iminente de morte" enfrentado pelos migrantes. "A situação é dramática (...) São muitas mulheres e crianças. Muitas pessoas sofrem graves problemas médicos, devido à queima de combustível e a todas as horas passadas no mar", alertou o coletivo em um comunicado.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895