Doria reúne ex-presidentes em ''ato institucional'' a favor da vacinação contra Covid-19:

Doria reúne ex-presidentes em ''ato institucional'' a favor da vacinação contra Covid-19:

Governador de São Paulo disse que convidou inclusive Lula e Dilma Rousseff, porém os dois recusaram ''muito educadamente''

AE

Evento acontece no dia do aniversário da cidade de São Paulo

publicidade

No dia em que São Paulo comemora seus 467 anos, o governador João Doria (PSDB) reuniu os ex-presidentes José Sarney, Fernando Henrique Cardoso e Michel Temer para um ato simbólico de vacinação contra o coronavírus. "Não é um encontro político, mas institucional. A favor da vida e da vacina", disse o governador durante o evento em defesa da imunização, no Palácio dos Bandeirantes.

"Pessoalmente convidei todos os ex-presidentes, justamente por entender que não era um ato político", justificou o governador, acrescentando que pediu a amigos em comum que chamassem também Lula e Dilma Rousseff. De acordo com ele, todos declinaram do convite "muito educadamente".

FHC comparou a pandemia de Covid-19 às memórias dos pais sobre a gripe espanhola e dele mesmo sobre a Segunda Guerra. "Mas nada disso se compara ao que está acontecendo, porque o vírus não escolhe quem ataca", disse, completando sobre a importância do isolamento social e agradecendo aos profissionais de saúde. "Às vezes acho difícil ficar em casa, mas imaginem quem não tem casa?".

Veja Também

"Me resta a esperança para vencer esta tragédia: a vacinação. Que deve ser feita com a participação e colaboração de todos. É hora de juntarmos esforços para dizer à população brasileira para que colabore com as autoridades sanitárias", disse Sarney, que participou da cerimônia por videochamada e classificou a pandemia do coronavírus como "o maior problema dos últimos anos". O ex-presidente também elogiou o que classificou como "idealismo" do governador de São Paulo.

Temer também celebrou a "simbologia da unidade" na reunião. "O combate ao vírus é tão importante quanto a economia. A vida se vai e a economia de recupera. Que as vacinas venham de onde vierem, desde que bem testadas", afirmou. O ex-presidente ainda agradeceu aos profissionais de saúde, aos voluntários que se submeteram aos testes clínicos e pediu que todos se imunizassem.

Sarney, de 90 anos, FHC, de 89, e Temer, de 80, pertencem ao grupo prioritário da fase 1 de vacinação, que contempla idosos acima dos 75 anos. Na semana anterior, a ex-presidente Dilma Rousseff, de 73, recusou o convite para participar do evento afirmando ser "inaceitável 'furar fila'". "Agradeço, mas diante das circunstâncias tenho o dever de recusar a oferta, por razões éticas e de justiça", publicou em nota no seu site oficial.

O objetivo de Doria era reunir o maior número possível de ex-presidentes durante o evento, formando assim um contraponto ao atual líder do Executivo, Jair Bolsonaro, que tem sido contrário à vacinação no País. Ainda no início deste mês, Bolsonaro decretou um sigilo de 100 anos sobre o seu cartão de vacinação.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895