Embaixatriz belga na Coreia do Sul usa imunidade para evitar acusações de agressão

Embaixatriz belga na Coreia do Sul usa imunidade para evitar acusações de agressão

Ela bateu em duas vendedoras de uma loja que a acusaram de roubo

AFP

publicidade

A esposa do embaixador belga na Coreia do Sul invocará sua imunidade diplomática para evitar ações penais por acusações de ter agredido duas vendedoras de uma loja que a acusaram de roubo – anunciou a polícia nesta segunda-feira. O embaixador Peter Lescouhier declarou que "lamenta, sinceramente, o incidente que afeta" sua esposa e se desculpou "em seu nome". A embaixada da Bélgica "declarou que manterá o direito à imunidade para a esposa do embaixador", disse um detetive à delegacia de polícia de Yongsan no centro de Seul, acrescentando que a polícia não levará o caso adiante.

A Coreia do Sul é signatária da Convenção de Viena, que concede imunidade a diplomatas acreditados e a suas famílias, o que evita que sejam processados criminalmente. A polícia interrogou a mulher no início deste mês, depois que a embaixada manifestou sua decisão de colaborar.

Imagens obtidas pela emissora CCTV mostram a embaixatriz puxando uma vendedora pelo braço e agredindo-a na cabeça, antes de dar um tapa em outra funcionária que tentou intervir. Cedidas pela família de uma das supostas vítimas, as imagens foram amplamente divulgadas pela imprensa local e nas redes sociais, provocando uma onda de críticas à família do embaixador.

A Embaixada da Bélgica postou suas desculpas em uma postagem bilíngue no Facebook, na tentativa de acalmar os ânimos, mas a má tradução para o coreano incendiou ainda mais as críticas. 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895