Especialistas da ONU pedem ao Papa prevenção de abusos sexuais de menores

Especialistas da ONU pedem ao Papa prevenção de abusos sexuais de menores

Grupo almeja estancar os repetidos casos de violência, como também garantir a indenização das vítimas

AFP

Especialistas da ONU pedem ao papa prevenção de abusos sexuais de menores

publicidade

Um grupo de especialistas em direitos humanos da ONU disse, nesta segunda-feira (21), ter pedido ao Vaticano que tome medidas para frear os casos de abuso sexual de menores nas instituições católicas e evitar que voltem a acontecer. Os especialistas não falam em nome das Nações Unidas, mas reportam suas conclusões à organização.

Em um comunicado, eles pediram "à Santa Sé que tome todas as medidas para frear e prevenir a repetição de violência e de abusos sexuais contra menores nas instituições católicas e assegurar que os responsáveis responderão por isso e que as vítimas serão indenizadas".

Regras rescentes

Em 2019, o Papa Francisco divulgou normas mais rígidas que obrigam os padres e religiosos a denunciar qualquer suspeitas de agressão sexual ou assédio. Todas as dioceses do mundo deverão ter um sistema acessível ao público para apresentar relatórios sobre as denúncias de potenciais casos de abusos sexuais, que serão examinados em um prazo de 90 dias.

Esse tipo de sistema já existe em alguns países, como Estados Unidos, mas o Papa torna a iniciativa obrigatória em todo o mundo. A forma desses sistemas de alerta não foi esclarecida, porém, na carta. Até o presente momento, os clérigos e religiosos denunciavam os casos de violência de acordo com sua consciência pessoal. A grande novidade do texto: o papa torna juridicamente vinculativo em toda a Igreja a denúncia de abusos sexuais "no menor tempo possível" por padres e religiosos.

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895