Estado da Virgínia, nos EUA, decide extinguir a pena de morte

Estado da Virgínia, nos EUA, decide extinguir a pena de morte

Parlamentares estaduais aprovaram projeto de lei em definitivo

AE

Projeto agora segue para avaliação do governador democrata Ralph Northam

publicidade

Os parlamentares estaduais da Virgínia aprovaram, na segunda-feira, o projeto de lei em definitivo que acaba com a pena de morte no Estado que mais executou condenados na história americana.

O projeto agora segue para avaliação do governador democrata Ralph Northam, que já disse que a sancionará, tornando a Virgínia o 23.º Estado americano a impedir as execuções. A Assembleia Legislativa do Estado tem maioria democrata.

"Há uma percepção de que é hora de acabar com essa prática desatualizada que tende a causar mais danos aos familiares das vítimas do que nos fornecer qualquer conforto ou consolo", disse Rachel Sutphin, cujo pai, Eric Sutphin, foi morto a tiros em 2006 enquanto trabalhava para o xerife do Condado de Montgomery.

A Virgínia já executou quase 1,4 mil pessoas desde seus dias como colônia, de acordo com o Centro de Informações sobre Pena de Morte. Desde que a Suprema Corte restabeleceu a pena de morte em 1976, o Estado fez 113 execuções, ficando atrás apenas do Texas.

Os republicanos se mostraram preocupados e disseram que há alguns crimes tão hediondos que os perpetradores merecem ser executados. Acabaram sendo vencidos.

Apenas duas pessoas permanecem no corredor da morte na Virgínia. Anthony Juniper foi condenado à morte em 2004 pelo assassinato de sua ex-namorada, dois de seus filhos e seu irmão. Thomas Porter foi condenado à morte pelo assassinato de um policial de Norfolk em 2005.

A revogação da pena capital no Estado converteria suas sentenças em prisão perpétua sem liberdade condicional.

Veja Também


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895