Estados Unidos contratam Sanofi e GSK para produção de 100 milhões de doses de vacina
capa

Estados Unidos contratam Sanofi e GSK para produção de 100 milhões de doses de vacina

Dos 2,1 bilhões de dólares disponibilizados pelo governo norte-americano, mais da metade vai financiar o desenvolvimento da vacina.

Por
AE

Acordo está firmado "sob reserva da assinatura de um acordo definitivo


publicidade

Os Estados Unidos fecharam um acordo de 2,1 bilhões de dólares com as farmacêuticas Sanofi e GlaxoSmithKline (GSK) para a produção de 100 milhões de doses de uma futura vacina contra a Covid-19, de acordo com comunicado divulgado nesta sexta-feira. Do montante disponibilizado pelo governo norte-americano, mais da metade vai financiar o desenvolvimento da vacina.

O restante equivale ao fornecimento das doses. Pelos cálculos das farmacêuticas, as fases 1 e 2 devem acontecer em setembro deste ano, e a fase 3, até o final de 2020. Se os dados forem positivos, a aprovação regulatória pode ser solicitada na primeira metade de 2021.

Sanofi e GSK informaram ainda que pretendem ampliar gradativamente a capacidade de produção do antígeno e oferecer até um bilhão de doses por ano globalmente, caso os estudos se mostrem eficazes.


"A necessidade global de uma vacina para ajudar a prevenir a covid-19 é enorme, e nenhuma vacina ou empresa será capaz de atender sozinha a demanda global", diz Thomas Triomphe, vice-presidente executivo da Sanofi, no comunicado. Recentemente, os EUA fecharam um acordo com as farmacêuticas Pfizer e BioNTech para entrega de outras 100 milhões de doses de uma futura vacina contra o novo coronavírus.