Estupro de menina de dois anos revolta população de Mianmar
capa

Estupro de menina de dois anos revolta população de Mianmar

Protesto levou milhares de pessoas às ruas pela investigação do crime

Por
AFP

Milhares protestam em frente ao Departamento Central Investigação

publicidade

Milhares de pessoas foram às ruas da capital de Mianmar, Naipidau, neste sábado, pedir a investigação urgente do estupro de uma menina de dois anos, após uma campanha nas redes sociais que abalou a sociedade birmanesa. O crime aconteceu em maio, na capital, mas a campanha de protesto se intensificou na semana passada, quando o pai da menor recorreu à imprensa para expressar sua irritação com os poucos avanços da investigação.

Sua filha - contou ele - voltou do Jardim de Infância com ferimentos causados por um estupro, segundo os médicos. Neste sábado, os manifestantes marcharam em Naipidau, a maior cidade do país, tendo a sede da Polícia como destino final. Muitos estavam vestidos de branco, cor de luto nesse país, exigindo "justiça" para a criança e também mais segurança para os menores.

Um homem foi detido na quarta-feira, graças a imagens de câmeras de segurança, de acordo com a polícia. Ele foi acusado pelo estupro da menina, mas a opinião pública se mostrou cética quanto à sua responsabilidade. O estabelecimento onde a vítima estava matriculada e outros seis, privados, foram fechados.

Segundo a ONG Terra dos Homens, com sede em Lausanne (Suíça) e com forte atividade em Mianmar, o estupro é "muito comum" nesse país asiático. São pelo menos dois casos por semana, apenas em Naipidau, afirma a organização. A maioria sequer vem à tona.