EUA aplica sanções a autoridades de entidade eleitoral do Irã

EUA aplica sanções a autoridades de entidade eleitoral do Irã

Órgão iraniano de monitoramento de eleições desativou milhares de candidatos às legislativas, que serão realizadas na sexta-feira

AFP

"Os EUA continuarão a apoiar as aspirações democráticas dos iranianos", afirmou Steven Mnuchin

publicidade

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira sanções contra cinco funcionários do órgão iraniano de monitoramento de eleições, depois que a entidade desativou milhares de candidatos às eleições legislativas realizadas na sexta-feira.

Entre os punidos está Ahmad Jannati, um poderoso clérigo acusado de supervisionar a desqualificação de candidatos de dentro do corpo eleitoral, o Conselho de Guardiões da Constituição. O ultraconservador também desempenha um papel fundamental em uma agência que seleciona o líder supremo do regime.

"O governo Trump não tolerará a manipulação das eleições para favorecer a agenda maligna do regime, e essa ação expõe altos funcionários do regime responsáveis por impedir o povo iraniano de escolher livremente seus líderes", disse o secretário do Tesouro Steven Mnuchin em um comunicado. "Os Estados Unidos continuarão a apoiar as aspirações democráticas dos iranianos", acrescentou.

As sanções implicam que os ativos americanos das autoridades serão congelados, e as transações com essas pessoas serão um crime para qualquer pessoa nos Estados Unidos.

Jannati é secretária do Conselho dos Guardiões há muito tempo, responsável por examinar os candidatos ao Parlamento. O Departamento do Tesouro disse que, como secretária desse Conselho e membro do Comitê de Supervisão Eleitoral do Irã, Jannati supervisionou a desqualificação de quase metade dos 16.033 candidatos em potencial.

A maioria dos desqualificados eram candidatos moderados ou reformistas, que abriram o caminho para amplas vitórias dos conservadores às custas dos apoiadores moderados do presidente Hasan Rohani.

Os EUA também aplicaram sanções contra Mohammed Yazdi, um ex-chefe do judiciário que foi recentemente nomeado para o Conselho dos Guardiões pelo líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei. Yazdi também atua no Comitê Central de Supervisão, assim como os demais punidos: Siamakh Rahpeyk, Abbas Ali Kadkhodaei e Mohammad Hasan Sadeghi Moghadam, todos nomeados por Jannati para o comitê, segundo o Tesouro americano.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895