EUA "não percebe o grave erro" ao matar Soleimani, diz presidente do Irã

EUA "não percebe o grave erro" ao matar Soleimani, diz presidente do Irã

Hassan Rohani visitou a casa de Soleimani para prestar condolências aos familiares do general, em Teerã

AE

"Os americanos vão ver os efeitos deste ato criminoso", afirmou Rohani

publicidade

O presidente do Irã, Hassan Rohani, disse que os Estados Unidos "não percebem o grave erro que cometeram" ao efetuar o ataque da última quinta-feira que matou o general iraniano Qasem Soleimani, líder das Forças Quds, unidade de operações clandestinas da Guarda Revolucionária do Irã. "Os americanos vão ver os efeitos deste ato criminoso, não hoje, mas nos próximos anos", disse ao visitar a casa de Soleimani para prestar condolências aos familiares do general, em Teerã.

A televisão estatal do Irã veiculou imagens de uma cerimônia em homenagem a Soleimani na cidade de Qom. No local, sagrado para a seita xiita do islamismo, foram estendidas bandeiras vermelhas sobre os minaretes das mesquitas. O ato simboliza sangue derramado injustamente e serve como um chamado para as pessoas vingarem quem foi morto.

Nas ruas de Teerã, foram colocados outdoors mostrando a imagem de Soleimani e um aviso do aiatolá Ali Khamenei prometendo "dura vingança" contra os Estados Unidos. "Não acho que vai acontecer uma guerra, mas precisamos nos vingar", diz Hojjat Sanieefar, morador da capital iraniana. "Os Estados Unidos não podem mais bater e correr". 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895