EUA reabrem embaixada na Somália após quase três décadas
capa

EUA reabrem embaixada na Somália após quase três décadas

Washington fechou sede diplomática durante derrubada de regime militar

Por
AFP

Embaixada norte-americana na Somália será retomada em Mogadíscio

publicidade

Os Estados Unidos reabriram sua embaixada em Mogadíscio, capital da Somália, 28 anos depois de tê-la fechado em razão da guerra civil nesse país, informou na quarta-feira o embaixador. Washington fechou sua embaixada durante a derrubada do regime militar do presidente Siad Barre, que levou a décadas de caos, mas as relações diplomáticas entre os dois países se fortaleceram nos últimos anos.

"Hoje, reafirmamos as relações entre o povo americano e o somali, e entre nossos dois países", informou o embaixador Donald Yamamoto em comunicado. "É um dia histórico e significativo que reflete o progresso da Somália nos últimos anos e mais um passo em direção à regularização do compromisso diplomático dos EUA em Mogadíscio, desde o reconhecimento do governo federal da Somália em 2013", acrescentou.

Em dezembro de 2018, uma representação diplomática permanente foi estabelecida em Mogadíscio, mas era dependente de Nairóbi. O país ainda é atormentado por um movimento rebelde islâmico. Os combatentes do Al-Shabab realizaram um ataque na segunda-feira contra uma base militar usada pelos Estados Unidos e outro contra um comboio da União Europeia.

Em 2017, os Estados Unidos começaram a realizar ataques na Somália, depois que o presidente Donald Trump declarou que a parte sul do país era uma "área de hostilidades". "Os Estados Unidos continuam sendo um forte parceiro da Somália em seus esforços para construir um país estável, credível e democrático", afirmou o comunicado.