Família que ajudou Snowden pede refúgio no Canadá

Família que ajudou Snowden pede refúgio no Canadá

Sete pessoas deram abrigo ao ex-agente da NSA em 2013, em Hong Kong

Por
AFP

Snowden divulgou informações confidenciais à imprensa sobre dados de vigilância dos EUA


publicidade

Uma família que ajudou o americano Edward Snowden depois de suas revelações sobre a agência de inteligência da NSA pediu refúgio ao Canadá alegando perseguição em Hong Kong, informou uma ONG de Montreal nesta quarta-feira. Guillaume Cliche-Rivard, advogado da ONG For the Refugees, que em março ajudou outros "anjos da guarda" de Snowden - a filipina Vanessa Rodel e sua filha de 7 anos, Keana - a obter refúgio no Canadá, fez uma petição alegando "razões humanitárias" e "reunificação familiar" para que sejam acolhidas outras quatro pessoas que ainda vivem em Hong Kong e que enfrentam a expulsão. A esse respeito, ele destacou a preocupação crescente com os abusos dos direitos civis desde que a China continental assumiu o controle do antigo enclave colonial britânico em 1997.

Sete pessoas deram abrigo a Snowden em 2013 em Hong Kong, incluindo Rodel e sua filha. Acusado pelos Estados Unidos de espionagem e roubo de informações sigilosas de Estado, Snowden está exilado na Rússia. Outras quatro pessoas, incluindo o pai da menina Keana, sua meia irmã e seu meio irmão, solicitaram refúgio ao Canadá. Um quinto "anjo da guarda" de Snowden, como a imprensa batizou aqueles ajudaram ao ex-analista da NSA, ainda está à espera de uma resposta de seu pedido de asilo diante das autoridades de Hong Kong.

A ONG destacou que na semana passada a Alemanha concedeu o status de refugiado a dois ativistas a favor da democracia de Hong Kong, Ray Wong y Alan Li, investigados pela justiça da antiga colônia britânica. "O fato da Alemanha ter outorgado o status de refugiado a essas pessoas mostra que Hong Kong é um perseguidor no sentido da Convenção de Genebra" sobre os refugiados, disse em coletiva de imprensa Cliche-Rivard, que estima que essa decisão estabelece um precedente e "acrescenta muito peso e credibilidade" ao pedido de refúgio da família.


Originários do Sri Lanka, Supun Kellapatha e Nadeeka Paththini e seus dois filhos podem ser deportados a seu país depois que Hong Kong rejeitou seu pedido de refúgio. Supun Kellapatha é também pai de Keana. "Minha filha não deveria crescer no Canadá sem seu pai, seu meio irmão e sua meia irmã", disse Vanessa Rodel. "Minha família foi dividida e peço ao Canadá a que atue agora para reuni-la".