Festa de Halloween termina com cinco mortos no Panamá

Festa de Halloween termina com cinco mortos no Panamá

Caso ocorreu na capital do país

AFP

publicidade

Cinco pessoas morreram em um tiroteio ocorrido nesta sexta-feira durante uma festa de Halloween na Cidade do Panamá, um crime que a polícia associou à guerra entre quadrilhas. Outros três corpos com sinais de execução foram encontrados em um aterro sanitário da capital.

Cinco pessoas foram mortas a tiros e sete ficaram feridas nesta madrugada durante a festa, que ocorreu em uma casa noturna localizada no bairro popular de Santa Ana, próximo à parte antiga da capital panamenha.

"O evento se deveu a uma guerra entre quadrilhas", afirmou o comissário da Polícia Nacional, Ricaurte De La Espada. A festa foi promovida com imagens da popular série da Netflix "The Squid Game". O promotor Rafael Baloyes informou que o incidente ocorreu quando um indivíduo atirou indiscriminadamente contra supostos integrantes da quadrilha rival Los Galacticos, que revidaram com tiros.

O primeiro atirador morreu no local, e quatro das pessoas atacadas, no hospital. "Esses grupos criminosos não deixarão de ter condutas criminosas ligadas ao tráfico de drogas e à atividade de quadrilhas, isso terá uma consequência", declarou, em entrevista coletiva.

Duas pessoas foram presas, entre elas um irmão de uma das vítimas, encontrado com uma arma de fogo. "Presumimos que ele tenha usado a arma para defender o irmão", indicou Baloyes. Segundo o diretor da Polícia, John Dornheim, vários dos envolvidos tinham antecedentes criminais e ferimentos de bala por incidentes anteriores.

Em outro incidente violento, três corpos foram encontrados na comunidade Kuna Nega, nas encostas do Cerro Patacón, principal aterro sanitário da Cidade do Panamá. "Os indícios são de que foram executados", declarou Rafael Baloyes.

Nas últimas semanas, o Panamá registrou vários assassinatos em restaurantes e estabelecimentos comerciais, o que gerou alerta. Autoridades panamenhas vinculam esses tipos de crime a acertos de contas entre quadrilhas rivais pelo controle das rotas de drogas.

Este ano, o Panamá já apreendeu um recorde de 100 toneladas de drogas, principalmente cocaína, que traficantes tentam transportar da América do Sul, principalmente da Colômbia, para os Estados Unidos, maior consumidor mundial dessa droga.



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895