FMI aprova oficialmente aumento da sua capacidade de empréstimo

FMI aprova oficialmente aumento da sua capacidade de empréstimo

Ação visa ajudar especialmente os países pobres que sofrem com os impactos da pandemia

AFP

FMI aprova oficialmente aumento da sua capacidade de empréstimo

publicidade

O Conselho de Governadores do FMI aprovou nesta segunda-feira o aumento da sua capacidade de reserva em US$ 650 bilhões, passo mais recente para uma iniciativa de ajuda aos países mais vulneráveis.

"Esta é uma decisão histórica. A maior alocação de Direitos Especiais de Saque (SDR, sigla em inglês) na história do FMI e uma injeção no braço para a economia mundial, no momento de uma crise sem precedentes", declarou Kristalina Georgieva, diretora-gerente do fundo.

"Isso ajudará especialmente nossos países mais vulneráveis que lutam contra o impacto da crise da Covid-19", destacou. O programa, que havia sido aprovado pelo conselho executivo do fundo no mês passado, será implementado no próximo dia 23.

A emissão de novos SDR será destinada aos países membros na proporção de sua cota no FMI, informou o órgão. Os países emergentes e em desenvolvimento receberão um total de cerca de US$ 275 bilhões.

"Também continuaremos participando ativamente com nossos membros para identificar opções viáveis para a canalização voluntária de SDR dos países membros mais ricos para os mais pobres e vulneráveis, a fim de apoiar a recuperação da pandemia e alcançar um crescimento resiliente e sustentável", assinalou Kristalina. Os países ricos poderiam, por exemplo, transferir os SDR que lhes forem atribuídos para financiar o programa de combate à pobreza do FMI e o Fundo para o Crescimento, o que aumentaria a concessão de créditos a países de baixa renda.

Origem

Criados em 1969, os SDR não são uma moeda, nem existem materialmente. Seu valor é baseado em uma cesta de cinco moedas fortes: dólar, euro, libra, yuan e iene.

Uma vez emitidos, eles podem servir como valor de reserva, que estabiliza o valor da moeda nacional de um país, ou se converter em moedas mais fortes, para financiar investimentos.

Aos países mais pobres também é permitido obter moedas fortes sem o pagamento de juros altos.

Veja Também

 

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895