Forças de segurança do México capturam filho de El Chapo
capa

Forças de segurança do México capturam filho de El Chapo

Operação virou batalha entre policiais e criminosos fortemente armados

Por
AFP

publicidade

As forças de segurança capturaram nesta quinta-feira um dos filhos do chefão das drogas Joaquín " Chapo" Guzmán, o que deu origem a uma verdadeira batalha contra homens fortemente armados na cidade de Cualiacán, bastião do Cartel de Sinaloa, confirmou o governo. O homem, identificado como Ovidio Guzmán López, foi detido com outras três pessoas durante uma operação após um ataque a um carro da Guarda Nacional, revelou o secretário de Segurança e Proteção Cidadã, Alfonso Durazo.

O ataque partiu do interior de uma casa e a unidade da Guarda Nacional "repeliu a agressão e tomou o controle da residência, localizando em seu interior quatro pessoas, incluindo Ovidio Guzmán López", também conhecido como Ivan, disse Durazo. A ação fez com que "vários grupos de delinquentes cercassem a casa com uma força superior a da patrulha", o que provocou o tiroteio. "Além disso, outros grupos realizaram ações violentas contra a população em vários pontos da cidade, gerando uma situação de pânico", declarou Durazo.

Imagens de trailers queimados e homens fortemente armados circulando em caminhonetes foram gravadas por um jornalista da AFP. Em meio aos confrontos, o governo de Sinaloa pediu à população para não sair de casa e ficar atenta aos "avisos oficiais sobre a evolução dos acontecimentos". Segundo integrantes do governo de Sinaloa, o tiroteio começou às 16H00 (18H00 Brasília) e alguns policiais ficaram feridos.

Em meio à confusão destada em Culiacán, vários presos fugiram da prisão local de Aguaruto, revelaram os funcionários, que pediram para não ser identificados. O tiroteio se estendeu por horas em outros pontos da cidade. Imagens de TV mostraram o avanço prudente de carros do Exército e da polícia em uma das avenidas da cidade. O poderoso cartel de Sinaloa está dividido entre os filhos de "El Chapo", sentenciado à prisão perpétua nos Estados Unidos, e Ismael "El Mayo" Zambada; antigo sócio do chefão do narcotráfico. Ovídio - junto com seu irmão Alfredo - teria assumido a liderança de uma parte do cartel de Sinaloa, desde a extradição de seu pai para os Estados Unidos, em janeiro de 2017.