França sacrifica 16 milhões de aves por epidemia de gripe aviária

França sacrifica 16 milhões de aves por epidemia de gripe aviária

Pela primeira vez, aves selvagens contaminaram granjas ao retorno dos países do sul

AFP

Crises vinculadas à gripe se concentram no sudeste do país

publicidade

A França abateu 16 milhões de aves de cativeiro desde o início da atual epidemia de gripe aviária, um número recorde de sacrifícios no país, informaram autoridades nesta segunda-feira.

"O pico da epidemia foi no final de março e a epizootia se desacelera", explicou o Ministério da Agricultura.

Desde o primeiro caso detectado no norte da França no final de novembro, o vírus se propagou em 1.364 granjas, mais da metade do oeste do país, onde as autoridades determinaram sacrifícios massivos, incluindo de animais saudáveis de forma preventiva.

As crises vinculadas à gripe aviária se concentram no sudeste da França, principalmente nos cativeiros de aves destinados à produção de fois gras. Em 2021, foram registrados quase 500 focos e 3,5 milhões de animais foram sacrificados, especialmente patos.

A gripe aviária, que se propaga em animais migratórios procedentes da Ásia, possui um caráter sazonal: começa normalmente em outubro na Europa e se prolonga até o mês de abril.

Pela primeira vez, aves selvagens contaminaram granjas ao retorno dos países do sul, o que provocou uma segunda onda que está chegando ao fim.

Estas crises geraram prejuízos importantes para os criadores, com a suspensão da produção e exportação, e também para o Estado, que precisa pagar indenizações por animais abatidos e perdas associadas.

Veja Também



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895